domingo, 21 de junho de 2015

#CangaceirosDaAlegra e #SrGentileza em Salvador/BA.


Enquanto algumas pessoas reclamam da vida (e dos outros), outras pessoas lutam por ela. Estive nessa noite com o grupo "Cangaceiros da Alegria" em Salvador/BA quando ofertavam abraços a quem quisesse. E, é incrível, muita gente quis abraçar gratuitamente.
Isso é Gentileza pura! Pessoas gentis existem! Há gente nas ruas se doando ao próximo!
Parabéns meninos Cangaceiros! Adorei estar com vocês na primeira noite de inverno brasileiro Emoticon smile

Abraços fraternos,

Sr. Gentileza

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Texto: Marketing digital versus Gentileza - eis a questão. * Por Sr. Gentileza.

Vivemos a era da criatividade, inovação e necessidade de conquistar pessoas. O mundo virtual é, talvez, um celeiro de competitividade onde, cada empresa ou marca, desenvolve plataformas estratégicas e diferentes para conquistar aqueles que mais interessam: os clientes. Muitos profissionais se especializam e atendem as necessidades através de novos aplicativos ou ferramentas que facilitam a vida das pessoas e resolvem qualquer tipo de coisa.

Fomos tão envolvidos pela tecnologia e conectividade que não pensamos mais na possibilidade de vivermos sem elas. O tempo todo interagimos, conversamos, negociamos e mandamos informações para muitas pessoas, sejam contatos de trabalho ou de relações pessoais. Hoje não buscamos mais a informação. É a própria informação que vem até nós. E isso acaba “robotizando” ou “engessando” o que há de fundamental em qualquer relacionamento: o calor humano.

Por isso, no meio de tanta velocidade e necessidade de estar antenado ao que está acontecendo no mundo, nos esquecemos de “cuidar” do próximo e manter contato agradável e gentil. Por exemplo, o whatsapp envia notificações o tempo todo de que recebemos uma mensagem. Com isso nos sentimos forçados a responder com a mesma velocidade e perdemos a chance de dizer “bom dia”, “obrigado” ou “seja feliz”.

A Gentileza nas redes sociais é uma ferramenta interessante para manter relações, conhecer pessoas, fazer novos amigos e criar novas oportunidades de negócios. Se vivemos conectados e dependemos disso, porque não aproveitarmos suas facilidades para desenvolvermos uma boa rede de relacionamentos?


As pessoas precisam aprender a incluir na sua rotina digital a preocupação com o próximo, as virtudes, qualidades e formas de agradar. Ser gentil no mundo virtual é se antecipar as necessidades do outro (mesmo que você não o conheça), se colocar à disposição e lembrá-lo o tempo todo de que – por trás de um aplicativo ou site – existe um ser humano.

Luiz Gabriel Tiago
Sr. Gentileza

As boas intenções são reflexo de bons pensamentos.

Gentileza que gera gentileza e outras coisas boas...


Olá amigos gentis,

Quem se doa ao próximo não espera nada em troca. Quem divide, multiplica. Compartilhem!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Seja gentil com o seu próximo que melhora!


Praticar a Gentileza nos aproxima de Deus. Eu acredito que ser gentil é forma de oração!

Abraços,

Sr. Gentileza

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Gentileza: eu apoio!


GENTILEZA: EU APOIO!

E você? Compartilhe com seus amigos e espalhe o amor Emoticon smile

Abraços,

Sr. Gentileza

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Maria Eva Duarte de Péron - A Dama de Ferro da Argentina * Por Marina Morena Tiago.

Foto: Marina Morena Tiago - Cemitério da Recoleta - Buenos Aires/Arg.
Mausoléu de Eva Peron - Abril de 2015.
Maria Eva Duarte de Péron, nasceu em Los Toldos, província de Buenos Aires no dia 7 de maio de 1919. Foi resultado do casamento ilegítimo de Juan Duarte e Juana Ibarguren. Juana foi desposada por meio de uma troca comercial feita pelo pai de Evita, fato que causou grande preconceito na sua infância.
Aos 11 anos se mudou para um vilarejo próximo a Buenos Aires chamado Junín, e lá viveu grande parte da sua adolescência. Decidiu se aventurar na cidade de Buenos Aires quando completou 15 anos de idade e iniciou sua procura por oportunidades de trabalho o cenário artístico.
Evita foi persistente no seu sonho e resistiu a todos os pedidos de sua família para que ela voltasse para seu lar em Junín. Após 5 longos anos de luta, Eva consegue se estabilizar como estrela de rádio-novela onde atuava como personagens melodramáticas.
Eva conheceu Juan Domingo Péron num evento beneficente que fez em San Juan, a cidade sofreu grandes prejuízos por causa de um terremoto, o que fez com que um grupo de atores fosse até a cidade para o arrecadamento de fundos para ajudar as vítimas da tragédia.
Juan Péron, então vice-presidente da Argentina e ministro do Trabalho e da Guerra, troca galanteios com Eva que se vê apaixonada por ele. Juan é preso por militares que são contra sua política voltada para os trabalhadores, mas tinha grande prestígio, o que foi provado quando os trabalhadores foram às ruas exigindo a libertação dele.
Sua ascensão como presidente da Argentina, teve como evento culminante sua libertação por pressão popular. Eva decidiu falsificar documentos para se casar com Juan e viver as mesmas glórias que as massas dirigiam ao seu amante.
Foto: Evita Peron
Evita conquistou o apoio da população pobre , na maioria migrantes de origem rural a quem ela chamava de “descamisados”, para o peronismo. Em 1947, passou uma temporada na Europa que transformou seus gestos e vestimentas dignas de uma primeira-dama. Eva recebia em seu escritório, que ficava na residência presencial, doações que eram direcionadas para os mais necessitados.
O sucesso de sua obra, possibilitou-lhe a criação da Fundação Eva Perón, que atendia a uma fila extensa de necessitados que lhe dirigia os mais diversos pedidos de ajuda. A rotina da estrela, que já ameaçava até mesmo o marido, era de 18 horas ininterruptas, que começava às 7 da manhã e terminava nas primeiras horas da madrugada.
Na mesma época, Evita criou uma equipe própria de assessores e fundou o Partido Peronista Feminino, no qual se abria portas para seus discursos autoritários e prepotentes. A essa altura, Eva sofria de um câncer de útero que foi estupidamente ignorado, além de estar em crise com seu marido que sentia grande receio pela ascensão de Eva.
A heroína da Argentina, morreu aos 33 anos mas no auge de seu padecimento, fez uma negociação de compras de armas que foram distribuídas aos defensores do peronismo. A preservação do peronismo teve todas as possibilidades arruinadas pela inevitável morte de Eva.

Seu corpo foi embalsamado e sequestrado por 16 anos por inimigos políticos de Péron, que foi reeleito apenas em 1973, quando volta para a Argentina com sua terceira esposa e também, sua vice.  Após a morte de Juan, Isabelita leva os despojos de Evita para Buenos Aires e os sepulta junto aos de seu falecido marido.

Marina Morena Tiago
Estudante, 15 anos e apaixonada por literatura e empreendedorismo.

03 DE JUNHO - DIA DO PROFISSIONAL DE RH.


Parabéns a todos vocês que enxergam uma empresa como ninguém. Sabem das necessidades, conhecem as carências e entendem o ser de uma forma muito especial. 
Compreendem a importância do capital humano e se dedicam a ele. Acreditam no potencial das pessoas e promovem oportunidades para que se desenvolvam.
Sem vocês, Profissionais de Recursos Humanos, a Gentileza no ambiente de trabalho não seria possível. Sem vocês, minha missão não seriacumprida. Sem vocês, ser gentil jamais seria estratégico e fundamental.
Obrigado por vocês confiarem no ser humano. Obrigado por confiarem em mim e na prática do bem inserida no dia a dia corporativo.


Abraços,

Sr. Gentileza

Quem é gentil é gentil e pronto!


Quem tem o hábito da Gentileza, pratica sem esperar nada em troca e sabe que, os grosseiros e mal educados são aqueles que mais precisam disso.

Abraços,

Sr. Gentileza

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Texto: Presentear é um ato de gentileza * Luiz Gabriel Tiago (Sr. Gentileza).

O ato de presentear representa muito – tanto para quem dá quanto para quem recebe. Trata-se de um conjunto de sentimentos e emoções desde o momento que procuramos algo para comprar (ou fazer com as próprias mãos), que tipo de embrulho vamos usar e até o instante da entrega.
Qualquer presente, desde o mais simples até o mais sofisticado, tem o poder de materializar uma intenção, seja uma forma de agradecer um favor, de parabenizar por alguma data ou feito extraordinário ou, simplesmente, de praticar a gentileza espontânea e sem motivos especiais.
Muitas vezes quem oferta o presente se sente mais recompensado do que quem recebe. O cérebro, nesse instante, dispara no organismo alguns hormônios como serotonina e endorfina, que são responsáveis pelo bem estar. Essa carga de emoções positivas acontece em ambas as partes. Trata-se de um gesto singelo, mas com efeitos incríveis pois sensibilizam e nos inspira a retribuir.
O falecido Profeta Gentileza (José Datrino, 1917-1996) em uma das suas máximas, dizia em suas pregações nas ruas do Rio de Janeiro: “- Gentileza gera gentileza”. Isso se dá porque todos nós temos um neurônio chamado de “neurônio espelho”, que estimula a repetição de atos como o bocejar e demonstrações de carinho. Na correria que vivemos, presentear as pessoas representa muito, pois é uma das formas de demonstrar respeito, carinho e apreço ao próximo.
A pessoa que recebe um presente sente-se valorizada independente de ser uma data comemorativa (aniversário, namorados, mães, pais, etc.) pela singeleza de ter sido lembrada. A surpresa em receber algo provoca sensações intensas e tem um significado ímpar.
Alguns presentes são bastante representativos para os brasileiros como os que têm aromas e texturas. Perfumes, loções e maquiagens formam uma das preferências femininas. Acredito que fiquem somente atrás do vestuário, mas são sempre bem vindos e despertam a autoestima, as vezes adormecidas pela rotina profissional ou compromissos domésticos.
As essências e cremes (utilizados por homens também) provocam o que todos nós temos de melhor: o amor próprio, zelo e cuidado pessoal.
Todos nós gostamos de ser lembrados através de presentes que renovem a beleza ou definam nossos traços de vaidade. Eles (os presentes) chamam a nossa atenção para nós mesmos e refletem quem realmente somos.
Qualquer presente sempre vem embalado com intenções de agradar, afagar e, principalmente, de surpreender. Ter cuidado com a embalagem, com o laço e o cartão são sinônimos de preocupação e apreço a quem será ofertado. Digo isso pois considero a intenção a principal responsável pelo sucesso do gesto. Nem sempre agradamos pois não depositamos na iniciativa de presentear alguns valores como o prestígio, dedicação e capricho.
De acordo com o Aurélio, a palavra “presente” significa “aquele que permanece” - no sentido de “estar em algum lugar” ou “mimo, oferenda, dádiva” - quando relacionados ao ato de oferecer algo a alguém. Ambos os casos têm ligações estreitas pois um “mimo” ou “paparico” permanecem dentro da gente, ficam, se instalam – em definitivo.
Aproveitando esse trocadilho e enfatizando a dimensão da intenção, qualquer presente fica registrado na nossa memória, trazendo leveza e suavidade, podendo ser lembrado para sempre.
O ato de presentear significa trazer poesia à vida de alguém, desde um bilhetinho ou buquê de flores até uma joia. Os seres humanos vivem em busca de relacionamentos e ferramentas que facilitem isso. Esquecemos de manter vivo o convívio com colegas de trabalho, amigos e parentes, pois priorizamos outras coisas mais práticas como trabalhar, dirigir, ir ao supermercado e pagar as contas. Ou seja, deixamos de acender as relações com aqueles que já são próximos e nos preocupamos com a rede de contatos que não temos, para satisfazer outros interesses. Por exemplo, dedicamos boa parte do tempo em ampliar o número de seguidores no Instagram ou LinkedIn para termos melhores oportunidades na carreira futuramente.
A gentileza é um predicado que está dentro de cada um de nós. Basta uma fagulha para ser despertada e, quando isso acontece, envolvemos quem está ao redor. Presentear pessoas próximas é um ato de gentileza sim e pode mudar o dia de quem recebe! Para isso, não precisa ter requintes na escolha, mas ser bastante exigente na vontade e criatividade na hora de ofertar. Sentimento é tudo. Intenção é indispensável. Criatividade é condição.
A sensação de presentear é melhor do que a de receber. Surpreender alguém com uma lembrança inesperada e sem data comemorativa é mais gratificante ainda. Nesses gestos a gente transfere nosso sentimento de afeição em dose dupla, pois esperamos que a reação do presenteado seja de acolhimento.
A aceitação é esperada da mesma forma que uma criança quando abre um embrulho: surpresa, alegria e um sorriso escancarado. Extrapolar as emoções provocam algo como um “foguetório” interior, se assemelhando à uma explosão de satisfação pessoal.
Dar é mais do que receber. Entregar algo é como se entregar literalmente.
O relacionamento humano está em crise na nossa sociedade. As pessoas se toleram por protocolo ou por conveniência, já que o padrão de comportamento diz isso. No trabalho somos convencionados a cumprimentar por boa educação, a dialogar por procedimento e a conviver por necessidade. É natural que seja dessa forma, pois todos os dias passamos horas reunidos em grupo, mas com o objetivo comum de produzir e alcançar resultados. Ser gentil deixou de ser prioridade, aliás, talvez nunca tenha sido. Produzimos manuais de procedimentos, cartilhas com direitos e deveres, e nenhuma delas induz à necessidade de “enxergar” o que os outros têm de melhor.
Em nosso programa de Consultoria em Gentileza Corporativa, incentivamos a prática da doação entre os participantes. Isso significa que os profissionais que capacitamos devem se habituar a fazer elogios (e torná-los públicos em cartões, post-its e cartazes), trocar cartões com frases de efeito positivo, agradecer favores prestados e se disponibilizarem a dividir tarefas. Percebemos que, com o tempo, essas atividades se tornam simples demais (bem rotineiras) e eles extrapolam através de presentes, bombons, flores, livros e porta-retratos com fotos deles no trabalho. Hoje incluímos as selfies no nosso programa pela praticidade e imediatismo do celular. Eles trocam entre eles e ainda postam em grupos nas redes sociais que criamos especialmente para o projeto.
Essas atitudes quebram a rotina rígida e suavizam o ambiente profissional e acabam levando a ideia para casa. A multiplicidade da Gentileza é vista nesses efeitos que surpreendem e motivam a quererem continuar.

Ser gentil é simples e servir ao próximo também. Como em qualquer presente que damos, o importante é querer ofertar, se empenhar para que a aceitação aconteça espontaneamente e, claro, acreditar que o que vale é a intenção. O presente, independente do seu tamanho ou valor, fica, permanece.

Luiz Gabriel Tiago - Sr. Gentileza