segunda-feira, 9 de maio de 2011

Texto do Sr. Gentileza - Líder Não Mente

O verdadeiro líder é aquele que não mente, não inventa e não fantasia pois acredita na transparência dos fatos, pensamentos e dos sentimentos dos seus liderados. Ele deve ser capaz de promover a harmonia e equilíbrio do trabalho através de palavras sinceras e oportunas promovendo a concórdia, em especial por saber a hora certa de fazer comentários e exprimir opiniões. A preocupação com o “sentir” do outro – a empatia – pode ser decisiva numa relação profissional.
A sinceridade pode ser prejudicial se não for usada na hora ideal; a franqueza e verdade devem ser expressas de forma sublime e cautelosa dosando-as com sensatez e equilíbrio.
Nem todos estão prontos para receber uma crítica ou orientação se estiver num momento de tensão ou se os nervos estiverem à flor da pele. Chamo de “sincericídio” o ato de dizer o que se pensa em qualquer momento e para qualquer pessoa de forma indiscriminada, simplesmente pelo fato de não suportar guardar o que sente.

Existem muitas pessoas assim que confundem a sinceridade com a vontade de explodir em palavras e não conseguir segurar o ímpeto. Seja sensível!

Os líderes agem de forma sutil e contornam os momentos de crise com elegância e boa educação – tem que ser verdadeiro em tudo, mesmo em situações difíceis.

Muitos conflitos no ambiente profissional acontecem porque as pessoas não são preparadas para esclarecer certos assuntos ou discutir problemas de rotina – são imediatistas e não se conformam em ter cautela pra não machucar ninguém. Essa é até uma forma egoísta de tomada de decisões porque impede que a verdade prevaleça. Saber falar e usar de bom senso são características natas de um bom líder. A hipocrisia de todos os dias pode mascarar nossos sentimentos, cuidado.
Também é muito importante saber criticar e dar opiniões sobre diversos assuntos relacionados ao trabalho. Os liderados precisam (muitas vezes) expressar seus sentimentos e conclusões sobre alguns temas corporativos e só o fazem se o líder for capaz e aberto a isso. Não vale à pena insistir numa conversa se não têm a certeza de que serão ouvidos.
Portanto, é importante saber a hora certa de falar qualquer coisa e, mais ainda, ter discernimento para usar palavras corretas de forma que não magoe, incentive uma represália ou ofenda a pessoa. Talvez esperar algumas horas ou dias para se tocar no assunto seja a atitude mais sensata e gentil a ser tomada.
Em momento algum a mentira é recomendável, muito menos a omissão deve ser considerada primeira opção numa boa liderança, mesmo que saibamos que um líder não toma partido de ninguém e deve ser sempre imparcial.
Mais uma vez reforço que é importante ter discernimento para não omitir a realidade por muito tempo, pois se descoberta pode causar danos tão prejudiciais quanto os causados pela mentira.
As pessoas devem agir de forma que realmente são, sem usar máscaras ou com hipocrisia, mostrando-se como de fato. Ninguém precisa deixar de ser o que realmente é para agradar as pessoas, muitos menos fazer o que não gostamos. Vamos usar a sinceridade com aqueles que são queridos e com aqueles que não são também.
Nada de desiludir as pessoas com nossas omissões e mentiras, mesmo que essas tenham a intenção de preservar alguém ou não deixar que elas se magoem com a verdade.
Existem formas e formas de ser transparente e claro sem prejudicar qualquer um que seja. O que preferem? Sofrer descobrindo a omissão ou mentira depois ou saber o que realmente acontece no momento certo?
Tem pessoas que dizem que omitem algumas coisas para proteger a paz e não irritar, mas essas ideias não justificam a ausência da transparência, sinceramente. É muito doloroso saber de fatos que já aconteceram há muito tempo por esse motivo e você não ficou sabendo.
O bom senso que é característico de líderes talentosos será o norte para o entendimento entre os membros de uma equipe, principalmente em situações conflituosas entre pessoas, envolvendo comentários maliciosos, mal entendidos e fofocas. Não se deve estimulá-las e sim combatê-las de forma sensata e coerente.

A confiança é construída e conquistada com o tempo; se perdida, pode ser quase impossível recuperá-la.

Não se envolver não significa conivência ou cumplicidade com o caso, tampouco se omitir perante os confrontos – o líder vai instaurar a paz em primeiro lugar através de entender o que está havendo realmente. - Escutar as partes envolvidas e ser imparcial é promover a verdade: ouvir e processar as informações sem omitir sua solidariedade.
Ser imparcial e não julgar vai ser importante para conquistar a confiança de todos e servir de molde para que essas coisas não se repitam mais. As pessoas podem saber que contam com o apoio dele porque é capaz de ouvir, entender e resolver eficazmente a crise sem comprometer a idoneidade e dignidade de ninguém.

LUIZ GABRIEL TIAGO
Sr. Gentileza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo (a) ao Blog do Sr. Gentileza - 06 anos no ar!

Aqui também é casa de gente gentil. Leia, acompanhe, participe e deixe suas mensagens :-)

Sinta-se à vontade em compartilhar a prática da Gentileza na sua vida, no trabalho e na sociedade.

Abraços,

Sr. Gentileza

Obs: Suas mensagens são muito bem vindas, mas identifique-se. Os comentários anônimos não serão aceitos.