domingo, 31 de outubro de 2010

sábado, 30 de outubro de 2010

Entendendo a Gentileza no Trabalho * Por Luiz Gabriel Tiago @senhorgentileza

Acredito na capacidade do ser humano de gerar sentimentos positivos com seu próximo e ter a habilidade de colocá-los em prática. Todos nós temos que conhecer a definição da palavra “empatia” e multiplicá-la, pois muitas coisas se tornam mais fáceis quando conseguimos nos colocar no lugar dos outros.
Isso pode acontecer dentro de casa (com os familiares), na rua (com os amigos) e no trabalho. Esse último ambiente é muitíssimo favorável à desunião e proliferação de atos daninhos e prejudiciais ao nível de estabilidade emocional dos indivíduos, principalmente por passarmos a maior parte de nossas vidas no ambiente de trabalho.
Portanto, o convívio com os colegas pode se tornar desgastante como qualquer outro tipo de relacionamento, pois o hábito de nos relacionarmos constantemente nos “isenta” às vezes de respeito, consideração e cordialidade. Qualquer sujeito se rende a pessoas que conseguem sorrir e ver a beleza nas coisas mais simples. A mais intolerante das criaturas acaba sendo vencida pelo cansaço por aquela que se mostra determinada, segura e com bastante leveza de espírito. Por isso defendo o conceito de resiliência e almejo que seja trabalhado em todas as empresas que existem.

As pessoas precisam ser capazes de superar os obstáculos e continuar lutando para alcançar seus objetivos.

Assim sendo, nos tornamos vulneráveis e podemos, sem querer, acabar criando um local de trabalho sem harmonia e com uma energia pesada. Por exemplo: quem é que nunca teve vontade de falar mal daquele colega de trabalho que se acha o melhor? Quem é que nunca quis cometer um "crime" dentro da empresa em que trabalha ou simplesmente boicotar os resultados? Não é correto querer crescer e aparecer à custa daqueles que se dedicam de corpo e alma por uma vida profissional decente. A dignidade começa quando somos capazes de agir com retidão e ética. É tão desagradável quando ouvimos alguém dizendo que não gosta de fulano ou beltrano. É tão desconcertante saber que alguém pode ser trapaceado pelo simples prazer de ver a competência da pessoa destruída.
O que se destrói na verdade é a dignidade desses crápulas que agem assim. Esse tipo de sujeito é mais comum do que imaginamos. Pode ser que estejamos cercados por eles e não nos demos conta ainda. A dignidade e a competência do ser humano são natas. Ninguém mata ou rouba! Podem até tentar, mas nunca chegam aos pés desses trabalhadores imbuídos no desejo de crescer e fazer bem o seu serviço.
Por menos que se goste daquela pessoa, ninguém tem o direito de menosprezar a capacidade de qualquer um que seja muito menos maltratar ou se desfazer do seu modo de pensar e agir, a não ser que comprometa a saúde dos projetos e metas propostas. Todos nós somos inteligentes e capazes de desenvolver várias habilidades, principalmente a humildade e gentileza.
O início pode ser complicado, mas vale à pena tentar. É gratificante a sensação de que pode ter feito algo e realizado bem suas atividades, além de colaborar para o crescimento de alguém.
Quero dizer que “gentileza deve gerar gentileza” (já dizia o Profeta)! Basta olhar para o outro como se fosse alguém muito especial e que possui sentimentos (quem não os tem?). Também não precisa ser do tipo piedoso que permite tudo e nunca revida as ofensas. O ideal é não procurar uma posição de defesa ou se fazer de coitado. Todos têm que mostrar a verdade através do trabalho bem feito e do bom relacionamento com os demais. Afinal de contas, ninguém precisa ter sangue de barata o tempo todo.
Vamos pregar a paz dentro das corporações e evitar a raiva. É muito melhor compartilhar de momentos agradáveis do que se estressar e contribuir para péssimas horas de relações interpessoais. O processo de desenvolvimento harmônico deve começar dentro de nós mesmos. Não devemos esperar uma atitude alheia como se os outros que tivessem que tomar a partida sempre. Dê o pontapé inicial e inicie uma campanha de boa educação e afabilidade.
Vamos fazer de tudo para criar amizades e relacionamentos saudáveis no setor em que trabalha, perguntar ao colega como foi o seu dia, se dormiu bem, agradecer, desejar bom trabalho e dar os parabéns por algo realizado com esmero e dedicação! Agradecer e pedir algo com o bondoso "por favor" também enobrece e dignifica pequenos gestos. Entre outras coisas que podem ser ditas, podemos levantar os ânimos das pessoas, descontrair e saber impor limites sem abusar da confiança.

 
LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza
 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Além de espalhar esperança...




...contribuir para o sucesso e crescimento dos liderados!


Dica do @senhorgentileza

LUIZ GABRIEL TIAGO


BOM FINAL DE SEMANA!


"Acredito que, em última análise, a função do líder é espalhar esperança."

Bob Galvin


Como Driblar a Raiva no Trabalho * Livro de Luiz Gabriel Tiago, Editora Ideias e Letras


À venda em qualquer livraria no Brasil inteiro.

Ou


Liderança...



"Os sentimentos elevados vencem sempre no final; os líderes que oferecem sangue, trabalho, lágrimas e suor conseguem sempre mais dos seus seguidores do que aqueles que oferecem segurança e diversão. Quando se chega a vias de fato, os seres humanos são heróicos."

George Orwell

Gentileza é...


GENTILEZA NO TRABALHO!

Trate todos bem e com respeito. Isso é Gentileza...

Abraços,

LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza


SUCESSO HOJE!


MEU DIA HOJE SERÁ UM SUCESSO!

Excelente sexta-feira para todos nós.

Abraços,

LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Frase sobre LÍDER. Abraços do @senhorgentileza





"A primeira responsabilidade de um líder é definir a realidade. A última é dizer obrigado. No meio, o líder é um servo."

(Max De Pree)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

FAÇA POR MERECER A GENTILEZA * Por Luiz Gabriel Tiago @senhorgentileza

Todo ser humano sabe até onde pode ir num contato com os outros sem extrapolar o bom senso e ferir a intimidade, mesmo porque as pessoas precisam saber separar e dividir o profissional da empresa do sujeito como pessoa. Tudo bem! Nem todos sabem disso. Tem gente que é bastante inconveniente, indiscreta e fofoqueira. Com certeza ainda escreverei sobre isso, pois é um assunto que não se encerra nunca e muito difícil de ser extinto nas empresas.
Os seres humanos têm sentimentos, não são irracionais (tem gente que não consegue pensar muito não). Sofrem, choram, têm problemas, têm família e é muito difícil desvincular o lado pessoal do profissional. Todos nós já tivemos momentos muito ruins e fomos ao trabalho cumprir nossa obrigação, mesmo com o desânimo mental nos forçando a ficar em casa e poder resolver as pendências.
Devemos reconhecer nas pessoas que trabalhamos a humanidade e amizade, mesmo que não possamos unir as duas vidas (pessoal e profissional) da forma que desejamos. Ambas nos exigem bastante dedicação fazendo com que nossas atividades sejam intensas e cheias de dissabores. Devemos colaborar para que seja aliviada de tanta tensão e possamos aproveitá-la ao máximo. Somos perecíveis e podemos nos deteriorar muito facilmente. Por isso, não podemos ajudar a degradar o que sentimos com a hostilidade e o menosprezo à emoção.
Como fazer então para não misturá-las? A resposta está dentro de cada um e é intransferível. Pode ser complexa ou bastante simples: com a construção do altruísmo e a (trans) formação de um bom caráter. A gente sabe quando as pessoas têm essas virtudes e qualidades.
É fácil ver que existem seres humanos dignos quando demonstram carinho e compaixão pela dor dos outros; apesar da empatia ser um mérito de poucos, deveria ser trabalhada nas corporações, pois é uma diretriz para a satisfação pessoal.
O discurso inflamado dos teóricos que persistem na separação das "vidas" nem sempre pode ser aplicado. Às vezes o problema é tão grave que não conseguimos deixá-lo do lado de fora da empresa. Aonde formos ele (o problema) estará lá. Sem querer ser pessimista, pois dissemino o altruísmo e positivismo, mas tento ser o mais realista possível para que todos entendam que não somos perfeitos e precisamos ainda de muito aprendizado.

A maturidade não é conquistada da noite pro dia, é um exercício contínuo e que exige muita habilidade.

Basta não se perturbar, pois levar os problemas conosco é normal e natural. Ninguém está imune a intempéries e dificuldades. Portanto, essa história é bastante relativa. Sem essa! Todo mundo tem o direito de chorar e se sentir frustrado durante o expediente! Todos podem se ausentar um tempo para respirar e tomar uma água. Nós que fazemos nosso tempo e sabemos quando é hora de arejar a cabeça.
Cabe ao bom líder saber conduzir com discernimento a situação e não produzir um sentimento de culpa em sua equipe, deixando o colaborador à vontade para se refazer e se sentir protegido pela empresa. Afinal de contas, ninguém produz sem estar num estado de espírito harmônico e tranquilo.
A gentileza está inserida nesse contexto e quase ninguém conhece realmente seu significado. Ser gentil requer bastante competência de se comunicar com bondade e caráter, esse último indispensável sempre. A benevolência produz um efeito cascata em todos os setores da vida como o equilíbrio e bem estar, ratificando o que todo líder precisa saber e tirando as máscaras daqueles que insistem na falsidade e mediocridade.
A humanização do trabalho começa por aí e perfazendo um caminho de sucesso em toda a corporação, pois todos sentem a necessidade de comungar da mesma filosofia.
Falar a mesma língua no ambiente corporativo é fundamental para sedimentar bons relacionamentos interpessoais e contribuir para o desenvolvimento harmônico das atividades.
Como falei no início desse texto, a resiliência é uma competência admirável nos dias atuais, pois todos nós temos que ser capazes de transpor as adversidades e encará-las como forma de crescimento indiscutivelmente. Devemos buscar forças para trabalhar com esmero e dedicação além de contribuirmos para o sucesso comum.
Se você é chefe, preste bem a atenção na próxima frase: se acha seu colaborador incapaz, treine-o! Delibere atividades, descentralize o poder e tente. Gerencie pessoas e os sentimentos para podê-los envolver na gestão dos processos e números. Assim não sentirá algo vazio na jornada do dia e contribuirá para o sucesso coletivo. Muitos esperam e dependem disso, pois o bom líder se sente atraído por aprender e depois obrigado a ensinar.
As equipes acabam se deteriorando e sendo exterminadas pelo fracasso na condução de mentes e sentimentos não entendidos. Cada um faz parte de uma conjuntura e sistema indivisíveis na tangente da estabilidade emocional e pessoal.
Digo, cada pessoa reage a estímulos de forma diferente e as reações aos problemas são as mais diversas. Não existe receita de bolo para isso muito menos um manual. O que vale nessas horas é usar o bom senso e saber ser ponderado no contato com outras pessoas.
Reforço a comprovada teoria de que recebemos aquilo que damos e ninguém pode contestar isso. Seja paciente, cauteloso e sensível aos que estão a sua volta e que, de certa forma, dependem de sua aprovação ou simplesmente de uma palavra amiga.

Um bom líder ou colega de trabalho precisa, em muitas das vezes, escutar mais do que falar.

Que isso sirva de exemplo para quem estiver lendo esse texto, independente da atividade que desempenha. Se você é líder ou chefe de uma equipe, gerente, superintendente, diretor, seja qualquer que seja o seu cargo, nunca se esqueça de que as pessoas têm sentimentos e não são máquinas. A escala de produção é movida pela racionalidade e capacidade de gerir emocionalmente. Todos querem carinho e almejam se sentir queridos.
Basta um pingo de solidariedade para se perceber a amizade. Basta um pouco de humanidade para movimentar uma equipe de forma favorável e ser lembrado sempre como um gestor que fez por merecer a posição que ocupa.


LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza

Frase sobre a GENTILEZA. Abraços do @senhorgentileza



"Três coisas agradam a todo o mundo: gentileza, frugalidade e humildade. Pois os gentis podem ser corajosos, os frugais podem ser liberais e os humildes podem ser condutores de homens."

Texto Taoísta

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Repensar os próprios erros ajuda bastante a ser uma pessoa melhor.


Com Gentileza fica mais fácil! Diminui a culpa.



Quero ser uma pessoa melhor! Abraços do @senhorgentileza



Quero mesmo! Me esforço todos os dias para isso. Às vezes parece que é muito difícil; a gente se surpreende com nossas próprias falhas, mas precisamos tentar. Tente! To tentando...




Vencedores...@senhorgentileza


"As pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, quando não as encontram, as criam."

Bernard Shaw


REMORSO. Isso é muito ruim, mas tem jeito. Abraços do @senhorgentileza

Se você se sente assim por qualquer motivo, pense, reflita e se PERDÔE.


“O remorso é um aviso do céu, um aviso de que existe consciência na alma do criminoso.”

( Emilio Castelar y Ripoll )

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

sábado, 23 de outubro de 2010

Joel Thrinidad



Amigos,

O texto abaixo foi escrito por Joel Thrinidad, grande escritor e amigo do coração. Leiam com carinho pois foi desenvolvido com sentimento e veracidade.

Tenho certeza de que farão bom proveito dessa leitura.

Joel, grande abraço para você! Continuo desejando sucesso.

Luiz Gabriel Tiago
@senhorgentileza

CONFIANÇA. A PORTA DE ENTRADA PARA SI MESMO. Por Joel Thrinidad.

Há seis requisitos básicos para o sucesso: O primeiro chama-se fé, e os outros cinco, Confiança. Eis ai a condição básica de nossa vida.


A confiança é a pedra fundamental de nossa existência e da relação que temos com nós mesmos e com outros semelhantes. Sem confiança ficaria difícil acreditar em probabilidades, circunstâncias, nas fórmulas químicas, ou em qualquer coisa, que não estivesse diante dos nossos olhos, ao alcance de nossas mãos e em tantas outras que cremos, mesmo sem nunca ter visto. Nela estão baseadas as amizades, as relações familiares, os velhos e novos romances, os acordos comerciais, os novos negócios e todo o tipo de projeção para o futuro. Desistiríamos de tudo, já nos primeiros erros e jamais nos curvaríamos sequer à possibilidade de cometê-los, ainda que alguns deles resultassem em os acertos, em brados de vitórias, em comemorações como em final de filmes que nos emocionam, quando o mocinho é ovacionado pela torcida no penúltimo instante de jogo pelo ponto realizado. Nossa vida, assim como nos filmes é resultado de uma crença compartilhada, quando não duvidamos de sonhos possíveis, mesmo que nossa fé, seja pouca para acreditar que exista água no deserto.

A confiança é um mal necessário, já que não podemos fazer tudo, que não conhecemos a tudo e que não estamos presentes em tudo, nem nos fatos mais óbvios de nossa vida. Os livros estão recheados de personagens confiantes, entusiastas, de desbravadores que foram abrindo estradas onde não havia passagem; responsáveis pelas grandes navegações, cruzando mares tendo apenas as estrelas como guia, mesmo sem nunca ter chegado no fim do mundo. Tudo está baseando na confiança e sem ela, nada existiria e confiando uns nos outros é que a vida de cada um é escrita. Confiamos nossa casa, a vida de nossas famílias nas mãos de completos desconhecidos e não confiar em si mesmo parece uma ironia cheia de riscos.

A autoconfiança é a primeira relação de amor que temos por nós mesmos, uma vez que a confiança que temos com o mundo e com os outros está fundamentada em outros valores independentes de nossas crenças. Tanto a autoconfiança quanto a confiança nos outros se formam com a palavra, com o caráter, com os ideais que ouvimos de nossos pais, da certeza de que todo homem de bem pense e age como um homem de bem, fazendo o que for mais sensato para si e para todos. É impossível nascer sabendo de tudo, muito menos aonde iremos chegar, sem começar crendo em si mesmo para saber se estamos no caminho certo. Assim se formaram os grandes pensadores do passado e que continuam influenciando a nossa atualidade. Formadores de opinião como nós, médicos, engenheiros, grandes maestros e porque não incluir nessa categoria os escritores, que vivem de contar o que sonham, mesmo sem a certeza de encontrar quem os ouça.
 
A autoconfiança é capaz de mudar tudo. Nascemos, aprendemos a andar sob passos em falsos, caímos e não desistimos de tentar, mesmo que nossa mente seja muito jovem para admitir a derrota. Começamos uma faculdade na esperança de que quando nos formarmos seremos tão promissores quanto à profissão que escolhemos. Casamos com a convicção de que o ato de dividir o mesmo teto com mais alguém nos faça mais felizes do que já somos. Criamos nossos filhos na certeza de que morreremos primeiros que eles.


Tudo, absolutamente tudo está baseado na confiança e com ela criamos as expectativas sobre nossos planos, crendo que podem dar certo e que a ninguém cabe o direito de colocar dúvida, muito menos diminuir a nossa capacidade. Seguimos criando os sonhos mais íntimos e nos empenhamos na realização deles, no entanto, não basta apenas querer, tem que confiar e exercer a vontade de vê-los acontecer.

Não há nada que façamos na vida, que não seja em busca de resultados. Almejamos que os sorrisos se abram para nós e confirmam que loucos eram os outros que não vêem o que a gente vê. Todo empreendedor é devoto de si mesmo e acredita mais que os outros. Ele lança a semente sobre a terra, mesmo sem ter a certeza de que fará uma boa colheita, acreditando que sol e a chuva serão suficientes para a plantação e que o preço da venda compense todo o trabalho. Somados a isso somos partes fé, que depositamos em nós mesmos e a outra parte é feita da certeza que nos fazem tapar os ouvidos à desconfiança dos outros. Enquanto houver esperança, lá estará a vitória e vitória a gente só vê quando não tem medo de tentar, mesmo errando tanto.

As regras foram feitas para que as pessoas que acreditavam que elas eram necessárias, assim como os remédios que são criados, a partir do veneno que contêm na fórmula. Basta uma dose errada para pôr fim à diferença entre o médico e o monstro. Tudo o que temos, vestimos, comemos é feito por alguém com o mesmo potencial que o nosso e a essa pessoa damos todo o crédito, quando compramos e usamos seus produtos, quando reconhecemos que não faríamos melhor, assim mesmo alguém nos confia metas a serem alcançadas e assinam com isso a oportunidade de provar que a todo custo faremos o melhor para atender as suas necessidades. É uma troca justa, onde não existe emenda e nem rasuras.

Hermógenes escreveu certa vez em seu livro Mergulho na Paz: "Quando eu disse ao caroço de laranja que dentro dele dormia um laranjal inteirinho, ele me olhou estupidamente incrédulo." Incrédulo, porque a autoconfiança é o que diferencia uma pessoa de outra. Não permitindo que ninguém duvide de sua capacidade e reduza os seus limites. Não existem parâmetros, para quem sonha acordado e se realiza colocando a cara no trabalho, passando madrugadas inteiras desenhando possibilidades em caminhos que desconhece, mas que ninguém a proíbe de sonhar.

. Se não contarmos a ninguém as nossas fraquezas e dos medos que sentimos, ninguém saberá o que tememos e de tudo aquilo que nos fragiliza. Só nós sabemos dos males que nos tornam humanos, por debaixo da capa de super-herói, e todas as coisas que precisamos fazer para recuperarmos as forças, por isso é que ter a autoconfiança e autodisciplina, devidamente ajustadas são tão importantes para nos tornarmos pessoas otimistas, seguras, entusiastas, com garra para seguir adiante sem hesitar, mesmo que não haja quem nos acompanhe.

Deus criou o mundo e no sétimo dia descansou. Se Deus não tivesse feito nada certamente teria prolongado seus dias de descanso, mas a preguiça não dignifica um Deus perante a sua criatura. Ora, se Deus não fosse um grande empreendedor não estaríamos aqui tentando criar nosso mundo dentro do mundo que Ele criou e não teria direito ao descanso divino que ele gozou. Há quem diga que foi ai que Deus errou, deixando que a criatura, ainda incompleta, dominasse o resto do mundo. "A confiança é a mãe do descuido." Já dizia Baltasar Gracián y Morales. E é por esse descuido que vagamos em busca da tão sonhada perfeição.


Ser autoconfiante demais também é um problema, como tudo que é feito em exagero, podendo nos tornar arrogantes, presunçosos, egoístas e causar mais danos do que resultados positivos. A auto-suficiência é pouco eficiente nesses casos e requer muita prudência e sensatez para não exagerar na dose certa de si mesmo, sem deixar de ver que precisamos das outras pessoas.

Assim como ser confiante demais é prejudicial à nossa vida, ser inseguros demais nos torna temerosos de tudo. O pessimista vê uma derrota em cada tentativa e um fracasso em cada possibilidade. É melhor se admitir fracassado do que merecedor de vitórias. Coloca dúvida em si mesmo e alimenta o ciúme e insegurança. Assumi-se digno de confiança alheia com a mesma convicção que desconfia dos outros. É capaz de apontar dez defeitos, mas incapaz de tecer um elogio. Por medo de perder, reserva-se ao direito de não abrir a guarda. Prefere se defender acusando ao sinal de qualquer ameaça. Desestimula as pessoas e se fortalece. Não compram livros de auto-ajuda, porque não confiam em si mesmos. E o pior de tudo é que mesmo sendo pessimista, nunca estão sozinhos, porque há que acredite em suas lamúrias e veja sensatez nos enganos que prega. Em suas filosofias a derrota está para o fracasso, assim como a água está para o gelo.

Na mesma batida segue o conformista que aceita as condições que lhe são impostas, sem reclamar, se permitindo limites, se trancando numa caixa de paredes, sem jamais hesita de nada que lhe digam atrás dos muros. É mais fácil conformar-se do que reinvidicar, de renegar o que não lhe agrada. Os conformados não mudam de casa, não mudam de hábitos, não mudam de emprego. Não ajudam, para não acumular favores de ninguém, seguindo a filosofia ‘do melhor sozinho do que mal acompanhado’ sem perceberem que por si só são as piores companhias que poderiam ter. Os conformistas depositam suas chances em possibilidades remotas e se limitam a pronunciá-las o tempo todo como autoflagelação: “Somente quando forem despedidos procurarão um novo emprego, Só quando perderem peso, pensarão em casamento, Só quando perderem a vergonha terão mais amigos, Somente quando ficarem mais velhos buscarão a Deus”.

O confiante, abusando de sua sensatez vai além de suas forças para conquistar o sucesso. Não se amedronta com a derrota e não se deixa vencer facilmente. Fortalece-se com os desafios, se alimenta de obstáculos e da capacidade de superar cada barreira. Entusiasma se com as pessoas, as deixam motivadas a seguir, a confiarem em seu trabalho e não duvidam de gentilezas. Não reclamam se for preciso juntar esforço, suor e algumas lágrimas aos seus planos. Reforça os nervos e os músculos para as lutas mais difíceis e se alimenta da ansiedade de trabalhar duramente, mantendo a confiança desce cedo, ainda que não a tenham herdado de seus pais.

Madre Tereza certa vez, reunindo-se com seus superiores disse que tinha apenas três centavos e um sonho de construir um orfanato. Como resposta foi repreendida por um deles, dizendo que com aquele dinheiro não se poderia fazer absolutamente nada, no entanto confiante, ela abriu um sorriso e lhes disse: Com Deus e três centavos, eu posso fazer qualquer coisa!

Se com três centavos é possível construir um orfanato, imagina o que o mundo faria se você acreditasse em si mesmo?

Não duvide e o mundo se curvará!

Parte integrante da obra “As Almas De Dentro” de Jöel Thrinidad


Bom final de SEMANA! Abraços do @senhorgentileza

Fortaleza de Santa Cruz - Vista Interna
Niterói/Rj
Foto: Luiz Gabriel Tiago


O CHEFE também ERRA. @senhorgentileza



"Errar é humano. Deve ser por isso que tanta gente diz: "Meu chefe é muito humano!"

(In Max Gehringer, Editora Gente)

Como Driblar a Raiva no Trabalho - Luiz Gabriel Tiago @senhorgentileza


SINOPSE: O local de trabalho deve ser um ambiente saudável mesmo sendo um lugar de competição e de resultados positivos. Mas como enfrentá-lo quando o clima fica tenso, provocado pela falta de ética de colegas, e ataques e fofocas surgem de todos os lados? A solução está no livro bem humorado e simples de Luiz Gabriel Tiago. O autor consegue ensinar em Como driblar a raiva no trabalho como proceder em momentos de fúria e não se deixar contaminar pela tensão do dia-a-dia. São pequenas dicas de como superar essas dificuldades com rapidez e bom humor, sem deixar de confiar em si próprio e na competência que é adquirida com o tempo, afirma o autor.



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

terça-feira, 19 de outubro de 2010

BOM TRABALHO! Abraços do @senhorgentileza

Ibirapuera Park - São Paulo / Brazil
Foto: @senhorgentileza

A GENTILEZA EMPREENDEDORA * Por Luiz Gabriel Tiago @senhorgentileza

Quando nos deparamos com a desmotivação e vemos que ela começa a tomar conta de nossa rotina profissional, devemos nos preocupar e buscar soluções para a retomada em grande estilo. Nunca é tarde para realizar mudanças e elas devem acontecer de forma positiva, mesmo que seja movida a base de críticas, sugestões ou reclamações.

O tempo é determinante nessa fase e exige agilidade na tomada de decisões. Um bom profissional sempre encara com bons olhos todas as opiniões, pois podem se juntar e formar uma corrente favorável a nova forma de encarar a realidade. As mudanças devem começar interiormente com bastante reflexão e análise de tudo que desempenhamos ou deixamos de fazer com o passar da jornada. Lógico que vamos levar em consideração aquilo que vem de pessoas competentes e com experiência suficiente para ajudar na promoção da mudança.

Um líder nato consegue perceber suas falhas diante da atitude das pessoas e, principalmente, da equipe comandada. Vários sinais de alerta são emitidos durante o percurso e temos que observá-los e compilá-los de forma a colaborar com a revolução interna. Friso a necessidade de uma mudança interior primeiro, pois de nada adiantará as aparências e máscaras, pois serão tombadas como num piscar de olhos.

Os vestígios da fraqueza acabam sendo desvendados com os dias e qualquer um pode ser capaz de perceber a não-mudança. Nesse caso, um passo em falso pode ser fatal e comprometer todo o aparente empenho em sobrepor as dificuldades e obstáculos do percurso. Fazer uma investigação pessoal e ter um tempo para refletir pode, talvez, ser crucial para desenrolá-lo desse processo sumarizado com o estresse e cansaço profissional.

A partir do momento que essa conscientização em prol da virada acontece, se faz mister colocá-la em prática e estabelecer objetivos e metas para o sucesso.

O início pode ser complicado, pois todos podem precisar de uma readequação de sua postura e se readaptar aos novos moldes do profissional que estava asilado. O talento é latente dentro de qualquer pessoa, mas nem todos podem visualizá-lo, pois se torna difícil a tangibilidade de algo empírico ou holístico.

Empreender com a própria carreira é uma missão eterna de todos os profissionais, desde a base ao topo da pirâmide.

Sem pretensões inequívocas ou inadequadas, o desempenho desde então deve ser mensurado com dedicação e virtudes. Não se devem esperar resultados imediatos (mesmo com sua eminência anunciada), porque o tempo – apesar de cruel e incansável – não produzirá milagres até então “não” alcançados.

Buscar a genialidade é possível e acessível aquele que se dispõe a tal feito. O empreendedorismo, apesar de não ser subentendido a todos, pode ser desenvolvido e descoberto com uma minuciosa investigação: primeiro pessoal, depois psicossocial e, por fim, externa.

A mudança é importante em todas as fases de uma carreira, pois as informações fazem com que as pessoas se tornem muito mais exigentes e buscadoras da perfeição – mesmo que seja impossível alcançá-la.

O mais difícil é convencer aqueles de que a transformação e mutação no mundo corporativo são indissolúveis, sendo assim concreta no seu teor e instigante para quem não se convence de que a rotina é necessária e sem necessidade da aplicabilidade de fomentos duradouros (quiçá permanentes) que perdurarão para o incremento na segregação dos valores.

A aplicabilidade de tal feito promove, ipso facto, a concretude anti-derrotista e veemente de erradicação do pseudo-fracasso. Além disso, sua servidão será útil no desenrolar do processo conscientização-realização pessoal e motivador de novas atitudes perante o confrontamento da situação.

Para que não seja sugestionável, determine metas a serem cumpridas e organize as atividades de forma que possam ser desempenhadas e ementadas com as possibilidades. A absorção (sub) sistemática resistirá à ampulheta imposta pela competição e despojada de esfinges não decifráveis.

Resumindo, se proponha a promover essa mudança interna e não espere por ninguém. Siga seu caminho em busca do progresso e entenda que o sucesso deve ser a conseqüência de seu bom trabalho e não o objetivo final.



Vai até lá!

 
LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza
 

Então vamos aprender? @senhorgentileza

"O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente."

Texto budista

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sem dúvidas. @senhorgentileza




"O único lugar onde sucesso vem antes do trabalho é no dicionário."

Albert Einstein

HOJE PODE SER O DIA "D"

Amigos, tenho certeza que poderei dividir com todos vocês o momento que estou vivendo em breve. Só SUCESSO!

BOA SORTE pra mim, pra VOCÊS!




To de olho!

LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza

BOA SEMANA !




Desejo a todos vocês, amigos, leitores e seguidores do GENTILEZA, uma semana PRODUTIVA, recheada de CONQUISTAS e SUCESSO.

Lembrem-se: EMPREENDER com a própria vida é sinal de MATURIDADE e CORAGEM.

Abraços,

LUIZ GABRIEL TIAGO
@senhorgentileza


domingo, 17 de outubro de 2010

Nem eu @senhorgentileza

"Não posso imaginar que uma vida sem trabalho seja capaz de trazer qualquer espécie de conforto. A imaginação criadora e o trabalho para mim andam de mãos dadas; não retiro prazer de nenhuma outra coisa."

Sigmund Freud

Viu só? @senhorgentileza



"Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida."

Confúcio

Existe felicidade no trabalho também! Abraços do @senhorgentileza



"A necessidade de procurar a verdadeira felicidade é o fundamento da nossa liberdade."

(John Locke)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Gentileza Gera Gentileza

Hoje seria aniversário de Ítalo Calvino




"O conhecimento do próximo tem isto de especial: passa necessariamente pelo conhecimento de si mesmo"
Ítalo Calvino (1923-1985)




Minha singela homenagem a esse incrível escritor, literata e ser humano. Autor de vários livros, mas o meu preferido é "Seis Propostas para o Próximo Milênio" - um dos meus livros de cabeceira.

Luiz Gabriel Tiago
@senhorgentileza


 

ACEITANDO DESAFIOS E ENCARANDO AS DIFICULDADES * Por Luiz Gabriel Tiago

Como superar os obstáculos que aparecem em nossas vidas sem nos abatermos e querermos desistir de tudo - desistir de lutar, de conquistar, de ser, de querer, de estar feliz, de saber, de gostar? Como não nos entregarmos à apatia sem acharmos que tudo de ruim somente acontece com a gente e nossos problemas são sempre os maiores? Essas questões nos remetem à cruel conclusão de que somos impotentes diante de muitas coisas e situações e que sempre existirão pessoas que farão de tudo para nos infringir, nos boicotar, nos desmotivar e fazer com que nos sintamos rebaixados. Podemos nos deprimir e nos sentirmos incapazes de realizar qualquer tarefa. Além disso, não conseguimos relaxar e ter a tranqüilidade necessária para a superação dos imprevistos, pois muitas vezes não conseguimos enxergar as soluções que podem estar a nossa frente.


O importante é continuar no caminho certo e retirar todas as pedras que porventura aparecerem. A vitória vem por méritos próprios e não por causa dos outros. O esforço pessoal é o guia para o sucesso e a disciplina individual é marcante quando almejamos alcançar o sucesso profissional e sem ela não é possível “organizar” o que for preciso na rotina diária de forma que estruture as atividades e facilite a superação das adversidades.

Vamos refletir então e achar a moral da história (se é que ela existe). Primeira coisa a ser feita: não confundir dificuldades com desafios, pois existem diferenças entre eles e não devem se misturar. Alguns dizem que um complementa o outro, mas pra mim essa teoria não se fundamenta, nem sequer se justifica se levarmos em consideração que ninguém quer encontrar impedimentos por aí e sair tropeçando em obstáculos.

As dificuldades podem surgir de repente, sem dar sinais de sua eminência, para nos desafiar e testar nossa capacidade de arremessar nossa paciência pelos ares a qualquer custo. Percorrem os caminhos à velocidade da luz e insistem em nos provar constantemente de que somos incapazes e despreparados para suportar as demandas impostas por elas. Mas, quando aparecem, somos nós que devemos superá-las. Nossa competência e resiliência são testadas nessa hora e a capacidade de superação pode ser nossa guilhotina então. Porém, ninguém em sã consciência quer passar por isso, sofrer e desejar o próprio mal ou muito menos exasperar a derrota.

São (as dificuldades) como uma esponja a sugar as energias vitais que toda pessoa empreendedora precisa. Ao contrário dos desafios, as dificuldades empurram em direção descontinuada e facilitam a queda na beira do precipício. O abismo pode ser sem fundo, infinito ou sem luz – dependendo de nossa visão ou capacidade de discernimento. Saber contornar as intempéries, obstáculos e problemáticas não é tarefa das mais fáceis, mas se tivermos determinação e vontade de superação, tudo se tornará mais próximo ao alcance das mãos. Além disso, só enxergamos nossa força real quando estamos diante de algum problema ou situação de risco, pois somos obrigados a encará-los ou solucioná-los.

Mais uma vez reafirmo que todos nós temos dois caminhos a serem seguidos: ou sentamos e esperamos as coisas acontecerem (nunca acontecem) ou enfrentamos as adversidades (decisão mais acertada). Algumas dificuldades nos fazem pensar em desistir, por exemplo: o cliente que vem a empresa reclamar do produto ou serviço, a equipe não está rendendo o que deveria e não conseguirá atingir as metas, a crise do casamento, os filhos que reclamam mais a sua atenção, o dinheiro que não sobra mais, etc. Mas, será que devemos declinar à vida? Será possível que iremos nos flagelar e não tomar atitudes por covardia ou medo das prováveis reações dos outros? Vamos encarar os problemas ou nos esconderemos? Seria mais fácil desistir ao invés de mantermos a persistência contínua para o sucesso?

As respostas para essas perguntas são óbvias e sem sombra de dúvidas devemos enfrentar a realidade e resolvermos todas as pendências, dificuldades e driblarmos as adversidades – que inclusive nos ajudam a crescer e repensarmos nossas vidas a fim de propormos uma reforma interior e íntima. Sim, deve-se seguir em frente e não se abater e se acovardar diante das dificuldades – em seu projeto de vida deve determinar ser corajoso e destemido, além de decretar o sucesso e progresso em suas ações.

Em relação aos desafios, eles nos impulsionam a fazer mais alguma coisa e atingirmos nossas metas; nos direcionam, nos revigoram e injetam o “gás” necessário para seguirmos adiante. Na verdade nos motivam e são uma espécie de mola propulsora para o sucesso, pois estamos diariamente nos desafiando. Mas devemos sempre enxergá-los (os desafios) como necessários pois aprimoram a competência de superação e lapidam a sensibilidade e maturidade. A vontade de vencer é determinante e extermina as tensões do ambiente de forma que o sujeito se torne resiliente e saiba administrar as emoções. Isso é ser gentil com as metas e objetivos de forma que tudo possa se tornar mais leve e consistente ao mesmo tempo, especialmente na hora da tomada de decisões.

Os profissionais devem ser desafiados constantemente a resolver problemas e buscar as resoluções necessárias, mesmo que para isso seja necessário encontrar recursos e informações, interagir com seus colegas de equipe, líderes e clientes. A sinergia entre as pessoas é sempre bem vinda já que aprendemos e apreendemos muitas coisas com isso.

Diante do conhecimento desses dois conceitos podemos iniciar a segunda fase que é a de transformação ou conversão dos valores. Existe um ditado (desconheço o autor) que diz: “O que não me destrói, me fortalece”. É importante lutarmos contra o sentimento de derrota e transformar as intempéries em força para lutar. A lei da selva nos exige sem cessar a recarga automática das energias para garantir nossa sobrevivência e nos mantermos competitivos.

Não é tão difícil superar as intempéries de nossa jornada turbulenta. Uma dose de bom humor, esperança, otimismo e resiliência são os ingredientes perfeitos para o sucesso. Basta juntá-las no seu rol de objetivos e determinar que os seguirão como um manual de sobrevivência na via crucis do crescimento profissional.

A concorrência é saudável, os obstáculos existem e sempre farão parte de um todo. O universo funciona como uma engrenagem e nenhuma das peças pode falhar. Uma depende da outra e estão intrinsecamente ligadas. Um elo com defeito compromete e pode corromper todo o sistema. Esse sistema pode ser chamado de “vida”, ou seja, nossas “vidas” num jogo aonde a regra é perder ou ganhar, lutar ou morrer, simplesmente continuar no páreo.

Diferenciar esses dois itens (dificuldades e desafios) pode parecer complicado, principalmente quando estamos passando por momentos difíceis e que exigem que tomemos muitas decisões. Essas decisões podem ser nos âmbitos profissional ou pessoal e frequentemente acontecem ao mesmo tempo. A vida não escolhe os melhores momentos para isso e parece que nunca estamos preparados – mas estamos sim. As dificuldades despontam como num piscar de olhos e nossa capacidade de resiliência deve acompanhar esse ritmo; desenvoltura essa que deve auxiliar na busca de melhores saídas, caminhos (por mais estreitos que sejam) e possibilidades.

A vida é como o universo, múltiplo em conseqüências, oportunidades e chances de alcançar o sucesso. Empreender em todos os momentos é missão tangível de todos nós e temos que fazer isso com nossos projetos para o presente e futuro, ou seja, independente de seu prazo de execução. Não importa para quando estipulou para atingir o alvo dos objetivos e metas, o inaceitável é não se programar para tal coisa.

Os sentimentos devem ser levados em consideração e valorizados por todos, especialmente pelos líderes, que atuam de forma direta com a gerência de pessoas.

Realmente, nossas cabeças são como uma máquina de relógio. Tudo deve funcionar com perfeição para evitarmos a pane. As empresas nos consomem, nos exigem e devemos estar de prontidão para atender suas necessidades, sem falar nos problemas sociais e familiares que também contribuem para nosso desgaste mental. Ambos nos exigem bastante dedicação fazendo com que nossas atividades sejam intensas e cheias de dissabores. Devemos colaborar para que seja aliviada de tanta tensão e possamos aproveitá-la ao máximo. Somos perecíveis e podemos nos deteriorar muito facilmente. Por isso, não podemos ajudar a degradar o que sentimos com a hostilidade e o menosprezo à emoção.

Como fazer então para não misturar o pessoal com o profissional? A resposta está dentro de cada um de nós e é intransferível. Pode ser complexa ou bastante simples: com a construção do altruísmo e a (trans) formação de um bom caráter. A gente sabe quando as pessoas têm essas virtudes e qualidades. É fácil ver que existem seres humanos dignos quando demonstram carinho e compaixão pela dor dos outros; apesar da empatia ser um mérito de poucos, deveria ser trabalhada nas corporações, pois é uma diretriz para a satisfação pessoal. Basta um pingo de solidariedade para se perceber a amizade. Basta um pouco de humanidade para movimentar uma equipe de forma favorável e eficiente.

A vida não para e devemos evitar a inércia. O movimento constante e a circulação de energia positiva vão contribuir para a oxigenação do cérebro e, com isso, fazer brotar idéias e soluções de forma leve e criativa.

Terceira fase: saber discernir as máquinas dos seres humanos. As primeiras são instrumentos sem sentimento, vida própria ou reações e facilmente programáveis. Se você é líder ou chefe de uma equipe, gerente, superintendente, diretor, qualquer que seja o seu cargo, nunca se esqueça de que as pessoas têm sentimentos e não são robôs. Todo mundo tem defeitos e qualidades. Todo mundo erra, acerta e tenta de novo A escala de produção é movida pela racionalidade e capacidade de gerir emocionalmente. Todos querem carinho e almejam se sentir queridos. Os seres humanos sentem, querem, realizam e podem determinar o curso a ser seguido – livre arbítrio para escolher e decidir – decidir ser feliz.



LUIZ GABRIEL TIAGO
 

Frase para o TRABALHO



"Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados."

Gibran Kahlil Gibran

Frase de D.Pedro II sobre o PROFESSOR



"Se não fosse imperador, desejaria ser professor. Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens do futuro."

D. Pedro II




obs: Sou fã de carteirinha desse homem. Grande gestor, ser humano e BRASILEIRO.

DIA DO PROFESSOR - 15 DE OUTUBRO




As bolas de papel na cabeça,

os inúmeros diários para se corrigir,

as críticas, as noites mal dormidas...


Tudo isso não foi o suficiente

para te fazer desistir do teu maior sonho:

Tornar possíveis os sonhos do mundo.


Que bom que esta tua vocação

tem despertado a vocação de muitos.

Parece injusto desejar-te um feliz dia dos professores, quando em seu dia-a-dia

tantas dificuldades acontecem.


A rotina é dura, mas você ainda persiste.

Teu mundo é alegre, pois você

consegue olhar os olhos

de todos os outros e fazê-los felizes também.


Você é feliz, pois na tua matemática de vida,

dividir é sempre a melhor solução.

Você é grande e nobre, pois o seu ofício árduo lapida o teu coração a cada dia,

dando-te tanto prazer em ensinar.


Homenagens, frases poéticas,

certamente farão parte do seu dia a dia

e quero de forma especial, relembrar

a pessoa maravilhosa que você é

e a importância daquilo do seu ofício.


É por isto que você merece esta homenagem

hoje e sempre, por aquilo que você é

e por aquilo que você faz.


Sucesso a todos!
LUIZ GABRIEL TIAGO

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Tarde de Autógrafos do livro "Como Driblar a Raiva no Trabalho" em Niterói/RJ - dia 10/10

Aconteceu na Livraria Labyrintho do shopping Itaipú Multicenter






Foi uma grande alegria poder dividir com amigos, leitores e familiares da minha cidade (Niterói) esse momento tão especial na minha carreira.

Obrigado!

Luiz Gabriel Tiago



Fotos - Noite de autógrafos em PETRÓPOLIS / RJ - dia 09/10

Livro "Como Driblar a Raiva no Trabalho", de Luiz Gabriel Tiago.






Aconteceu no Duetto´s Cafe - Galeria Gelli
Rua do Imperador, Centro - Petrópolis / RJ


Obrigado a todos os leitores da Cidade Imperial que compareceram e prestigiaram meu livro!

Luiz Gabriel Tiago




quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CUIDANDO DA SUA VIDA PARA UM BOM RECOMEÇO * Por Luiz Gabriel Tiago

Sempre há tempo para repensarmos nossos feitos, principalmente quando não nos sentimos realizados profissionalmente ou nos sentimos incapazes e desabilitados para a vida. É praticamente impossível desassociar a satisfação pessoal da profissional e vice versa (não é tão simples assim deixar os problemas do lado de fora da empresa e fazer de conta que nada aconteceu).
Mas esse sentimento é natural e inerente as pessoas que são guiadas pela natureza e ponderação. A racionalidade não acontece somente quando tomamos uma decisão centrada ou correta diante da necessidade – ela está presente naqueles que precisam de bem estar psíquico para viver e ponderação para tomar atitudes maduras e coerentes.
O sentimento de incapacidade e incompetência deve ser convertido e servir de estímulo para uma mudança rápida, pois as revoluções para o bem são sempre bem vindas e devemos estimular essa alteração de vez em quando. As pessoas ao redor que são detentoras de habilidade para detectar essa urgência, devem se movimentar e ajudar ao desprovido de ânimo nesse instante.
Apesar de serem cada vez mais raras, sem condená-las, pois são dirigidas pela burocracia, essas pessoas ou líderes ainda existem por aí e pensam que conseguem se manter no mercado de trabalho por muito tempo.
Conhecemos indivíduos que gostariam de estar em nossos lugares e nos invejam por termos um emprego simplesmente e, nós que estamos nessa posição privilegiada, vivemos reclamando de tudo. Nunca estamos satisfeitos com nossas condições, realidade, estilo de vida, conta bancária, entre outras coisas mais. Mas o correto é lutar para revitalizá-las, resgatar os bons momentos (projete-os para o futuro) e aparar o que for necessário.
Nada é alcançado sem esforço ou sacrifício e somente temos aquilo que merecemos e buscamos. Uma busca, digo particularmente, cansativa e que exige muita dedicação e empenho.
Somos obrigados a nos exigir impulso e energia para sobrevivermos e transformarmos nossos sonhos em realidade. Nesse caso, devem gerar objetivos e metas e temos que traçar planos para chegarmos até eles. No início tudo parece muito difícil e pensamos em desistir. Mas, porque desanimarmos se esperamos uma recompensa? O troféu de todo esse esforço são a nossa vitória e os frutos maduros que colhemos com o passar do tempo. Esse tempo não deve ser mensurado em dias, meses ou anos. Ele pode ser calculado instantaneamente e podemos nos compensar com cada segundo respirado com dedicação e trabalho.
Todos os segundos são levados em consideração quando pensamos na vida como um todo e ela (a vida) passa como um piscar de olhos.
Então vamos analisar a vivência dentro de uma empresa. As corporações exigem resultados em todos os momentos e as etapas devem ser cumpridas diariamente. Por isso digo que não podemos trabalhar hoje para conquistarmos algo depois de alguns anos. Vide que não faço conjecturas sobre o futuro. Ressalto os resultados imediatos, pois é isso que o mercado de trabalho ambiciona e espera de nós. Desempenhamos tarefas exaustivamente e cansamos nossas mentes e corpos todos os dias.
Portanto, devemos aproveitar todas as oportunidades que surgirem para relaxarmos e direcionarmos o consciente numa corrente positiva e otimista. Dedicar algum tempo à família e as atividades que proporcionam descanso mental são fundamentais nessa etapa e devem se tornar um hábito.
Muitas vezes nosso corpo começa a dar sinais de cansaço. O cansaço físico pode transformar seus dias de trabalho num verdadeiro martírio. Além disso, existe a estafa mental, que é perniciosa e compromete todo o seu rendimento. Quantas tarefas você deixa de fazer porque está cansado e não consegue raciocinar? Quantas vezes posterga algumas atividades por não ter estrutura mental para se concentrar?
Isso não é nenhum pecado! O seu corpo simplesmente está querendo te dar um alerta de que algo errado está acontecendo e que você precisa parar por uns dias. Talvez esteja na hora de tirar férias ou descentralizar suas tarefas.
Vamos analisar essas possibilidades agora. Provavelmente está se desdobrando e trabalha mais de 10 horas diárias. Pode parando de fazer isso!
Não está conseguindo folgar nos dias certos. Pecado capital! Todo trabalhador tem o direito do seu dia de descanso. Isso é lei!
Sempre tem uma pessoa desagradável na sua empresa que colabora com seu estresse jogando piadinhas e sendo grosseirão? Mais uma razão para refletir sobre sua vida. Essas pessoas são tão inúteis que não conseguem conviver em comunidade. Deveriam estar enjauladas em zoológicos ou manicômios. Ou então deveriam ser exiladas no meio de um deserto somente com água para sobreviverem.
Não vou me empolgar e começar a falar novamente desses tipos de pessoas. Mas, sabia que a maior causa de estresse dentro das empresas é o mal relacionamento com os demais colegas? Ninguém gosta de ser maltratado ou ser menosprezado. Isso cansa! Cansa a cabeça e, por conseqüência, o corpo fica sem alinhamento e em perecimento.
Deveríamos nos juntar e organizar um grupo de manifestação contra esse tipo de ser humano. O slogan pode ser: “Cansamos de trabalhar para terroristas”, ou “Cansei de você – vou tirar férias”.
É tão bom ir para seu ambiente de trabalho e saber que encontrará a paz, harmonia, solidariedade.
Por mais cansado que esteja o seu corpo, vai poder desenvolver pacificamente seus deveres diários. Quando a mente está ativa e arejada, as idéias surgem, as soluções para os problemas aparecem mais facilmente e até sorrimos com mais naturalidade.
Se lembra quando foi a última vez que se encantou com o canto de um passarinho ou o perfume de uma flor?
Aproveite seus poucos momentos de paz e procure entrar em sintonia com a natureza. Medite! Descanse a cabeça e o corpo e procure superar a fadiga e evitar a exaustão.


LUIZ GABRIEL TIAGO