terça-feira, 31 de agosto de 2010

Reflexão




"Que cada um desempenhe a sua parte em tudo que encontre para fazer, porém sem escravizar a alma."
(Textos Hindus)



Entrevista na Radio Rural AM 1470 - Rio Grande do Norte

ENTREVISTA COM LUIZ GABRIEL TIAGO
AO VIVO NA RADIO RURAL AM 1470 - PARELHAS / RN

DIA 03/09 - ÀS 09:30H

PROGRAMA MANHÃ INTERATIVA - RADIALISTA GLEISON QUEIROZ

ESCUTEM PELO SITE: http://www.ruralam.com.br/


Luiz Gabriel Tiago ministra treinamento em Vendas

                                                      
Aconteceu ontem (30/08)em Taboão da Serra o treinamento para a equipe Comercial da Microlins:

"Técnicas de Vendas para o Vendedor Campeão"

O encontro foi dirigido pelo Sr. Gentileza - Luiz Gabriel Tiago.

Siga em frente!


Estou caminhando! E vc?

Bom dia de trabalho. Luiz Gabriel Tiago.


domingo, 29 de agosto de 2010

SEM DISCIPLINA NÃO HÁ GENTILEZA




MEUS FILHOS TODOS VOS TEM QUE SABER

QUEM SOU EU SABERAS QUEM SÃO VOS TODOS VÃO

TER QUE ME CONHESERR E CONHESE RR A TIMESMO PO

IS TODOS SOMOS UM DEUS NOSSO PAI GENTILEZA

E A NATUREZA NOSSO DONO CRIADORR DA TUDO

DE GRACA POR JESSUSS DISSE GENTILEZA AMORRR


José Datrino – “Profeta Gentileza”


Temperamento explosivo: como utiliz�-lo de maneira eficiente na carreira?

Temperamento explosivo: como utiliz�-lo de maneira eficiente na carreira?

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Duas cabeças nem sempre pensam melhor que uma, mostra estudo - O Estado de São Paulo - 26 de agosto de 2010


Pesquisa revela critérios para que decisão coletiva seja melhor que uma 'ditadura do especialista'

Discutir um assunto com outra pessoa antes de tomar uma decisão só vale a pena se a conversa for franca e se ambos os interlocutores tiverem o mesmo nível de competência, mostra estudo publicado na edição desta semana da revista Science. É especialmente importante que as incertezas de cada um sejam compartilhadas. Se a comunicação não for boa ou se um dos debatedores entender muito menos do assunto que o outro, o melhor é decidir sozinho.

Para chegar a essa conclusão, cientistas liderados por Bahador Bahrami, do University College London, submeteram pares de voluntários a um teste em que tinham de observar uma tela cinza em dois intervalos de tempo e, então, decidir em qual desses intervalos um alvo havia aparecido na imagem. Quando apresentado, o alvo se mantinha visível por apenas 85 milissegundos. Cada participante tinha uma tela própria.

O teste foi realizado em quatro modalidades diferentes, o que permitiu aos pesquisadores controlar tanto o grau de comunicação entre os voluntários - em uma modalidade, eles só podiam informar um ao outro quando acreditavam ter visto o alvo, sem mais elaboração - e, também, o grau de "competência" de cada um, inserindo interferências na imagem que efetivamente tornavam um dos membros do par menos capaz de tomar a decisão correta que o outro.

Cada par de voluntários tomou parte em várias rodadas do experimento, o que permitiu produzir uma série de índices de sucessos e fracassos.

A conclusão foi de que a taxa de sucessos das duplas só superou a obtida pelo membro "mais competente" sozinho quando o grau de competência de ambos os participantes era próximo, e os dois tinham a oportunidade de se comunicar livremente - sendo fundamental a troca de informação sobre o grau de confiança de cada um no próprio palpite.

Quando os graus de competência eram muito diferentes, nem mesmo a comunicação franca ajudava a tornar a decisão melhor. Nesse caso, a "ditadura do mais competente" se revela a melhor estratégia. Perguntado pelo estadão.com.br sobre se esse resultado indicaria que decisões democráticas tendem a ser de baixa qualidade, Bahrami destacou o valor da educação.

"Com educação, que eleva os membros menos competentes para que alcancem os melhores, a melhor estratégia automaticamente muda para formas mais democráticas de votação", disse ele.

O pesquisador reconheceu ainda que seu estudo não leva em conta situações onde a "decisão correta" pode não ser clara, mas fez a ressalva de que esse tipo de conjuntura foi simulado em uma das modalidades do experimento, na qual as duplas não eram informadas, ao fim de cada rodada, se sua decisão conjunta tinha estado certa ou não. "Nossos resultados mostraram que, mesmo neste caso, o benefício coletivo aparece".

O estudo também não tratou de situações onde os membros da dupla sabem claramente que um deles é mais competente a respeito do assunto discutido - por exemplo, numa conversa entre paciente e médico. Mas Bahrami disse que, em um ou dois casos observados durante o estudo, os participantes notaram o desnível de competência entre eles e conseguiram tirar benefício do fato.

Em comentário a respeito do trabalho, também publicado na Science, o pesquisador Marc Ernst, do Instituto Max Planck, exemplifica a aplicação do resultado de Bahrami em que um jogo de futebol que tenha dois árbitros que, seguindo as conclusões do estudo, poderiam cooperar de forma a decidir lances duvidosos de forma melhor do que cada um deles seria capaz, atuando sozinho. "Mas se seria factível ter dois árbitros negociando cada decisão é outra história", ressalva.

O próximo passo da pesquisa de Bahrami, em 2011, será determinar o que acontece quando um dos participantes da decisão tem motivos para mentir sobre seu nível de incerteza - se está tentando impressionar ou se impor sobre o outro, por exemplo. "Espero ter a resposta para isso em breve", disse.

Verdade!



“As empresas são abstrações. O que vale, de verdade, são as pessoas dentro delas e suas relações”.

Silvio Meira


Gentileza no Trabalho: Lya Luft

Gentileza no Trabalho: Lya Luft

Levanta, sacode a poeira


Não deixa o desânimo te abater.

Levanta, Sacode a Poeira!

Xô Raiva.

Não espere, faça acontecer




Não adianta esperar a retribuição das pessoas por um bom feito. Simplesmente FAÇA. Continue fazendo!

Bom trabalho a todos lembrem-se sempre de que: GENTILEZA GERA GENTILEZA.

Luiz Gabriel Tiago

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A Gentileza Empreendedora * Por Luiz Gabriel Tiago

Quando nos deparamos com a desmotivação e vemos que ela começa a tomar conta de nossa rotina profissional, devemos nos preocupar e buscar soluções para a retomada em grande estilo. Nunca é tarde para realizar mudanças e elas devem acontecer de forma positiva, mesmo que seja movida a base de críticas, sugestões ou reclamações.

O tempo é determinante nessa fase e exige agilidade na tomada de decisões. Um bom profissional sempre encara com bons olhos todas as opiniões, pois podem se juntar e formar uma corrente favorável a nova forma de encarar a realidade. As mudanças devem começar interiormente com bastante reflexão e análise de tudo que desempenhamos ou deixamos de fazer com o passar da jornada. Lógico que vamos levar em consideração aquilo que vem de pessoas competentes e com experiência suficiente para ajudar na promoção da mudança.

Um líder nato consegue perceber suas falhas diante da atitude das pessoas e, principalmente, da equipe comandada. Vários sinais de alerta são emitidos durante o percurso e temos que observá-los e compilá-los de forma a colaborar com a revolução interna. Friso a necessidade de uma mudança interior primeiro, pois de nada adiantará as aparências e máscaras, pois serão tombadas como num piscar de olhos.

Os vestígios da fraqueza acabam sendo desvendados com os dias e qualquer um pode ser capaz de perceber a não-mudança. Nesse caso, um passo em falso pode ser fatal e comprometer todo o aparente empenho em sobrepor as dificuldades e obstáculos do percurso. Fazer uma investigação pessoal e ter um tempo para refletir pode, talvez, ser crucial para desenrolá-lo desse processo sumarizado com o estresse e cansaço profissional.

A partir do momento que essa conscientização em prol da virada acontece, se faz mister colocá-la em prática e estabelecer objetivos e metas para o sucesso.

O início pode ser complicado, pois todos podem precisar de uma readequação de sua postura e se readaptar aos novos moldes do profissional que estava asilado. O talento é latente dentro de qualquer pessoa, mas nem todos podem visualizá-lo, pois se torna difícil a tangibilidade de algo empírico ou holístico.

Empreender com a própria carreira é uma missão eterna de todos os profissionais, desde a base ao topo da pirâmide.

Sem pretensões inequívocas ou inadequadas, o desempenho desde então deve ser mensurado com dedicação e virtudes. Não se devem esperar resultados imediatos (mesmo com sua eminência anunciada), porque o tempo – apesar de cruel e incansável – não produzirá milagres até então “não” alcançados.

Buscar a genialidade é possível e acessível aquele que se dispõe a tal feito. O empreendedorismo, apesar de não ser subentendido a todos, pode ser desenvolvido e descoberto com uma minuciosa investigação: primeiro pessoal, depois psicossocial e, por fim, externa.

A mudança é importante em todas as fases de uma carreira, pois as informações fazem com que as pessoas se tornem muito mais exigentes e buscadoras da perfeição – mesmo que seja impossível alcançá-la.

O mais difícil é convencer aqueles de que a transformação e mutação no mundo corporativo são indissolúveis, sendo assim concreta no seu teor e instigante para quem não se convence de que a rotina é necessária e sem necessidade da aplicabilidade de fomentos duradouros (quiçá permanentes) que perdurarão para o incremento na segregação dos valores.

A aplicabilidade de tal feito promove, ipso facto, a concretude anti-derrotista e veemente de erradicação do pseudo-fracasso. Além disso, sua servidão será útil no desenrolar do processo conscientização-realização pessoal e motivador de novas atitudes perante o confrontamento da situação.

Para que não seja sugestionável, determine metas a serem cumpridas e organize as atividades de forma que possam ser desempenhadas e ementadas com as possibilidades. A absorção (sub) sistemática resistirá à ampulheta imposta pela competição e despojada de esfinges não decifráveis.

Resumindo, se proponha a promover essa mudança interna e não espere por ninguém. Siga seu caminho em busca do progresso e entenda que o sucesso deve ser a conseqüência de seu bom trabalho e não o objetivo final.

Vai até lá!


Luiz Gabriel Tiago

Atravesse a ponte para a felicidade

Ponto sobre o Rio Paraíba do Sul, Barra Mansa/RJ


BOM DIA A TODOS E BOM TRABALHO!

Luiz Gabriel Tiago


Menino chorão...não dá mais!

"Pare de se queixar do que não tem e comece a criar o que quer."
Dr. Phil McGraw


Livro: Como Driblar a Raiva no Trabalho - Luiz Gabriel Tiago - Editora Ideias e Letras

SINOPSE: O local de trabalho deve ser um ambiente saudável mesmo sendo um lugar de competição e de resultados positivos. Mas como enfrentá-lo quando o clima fica tenso, provocado pela falta de ética de colegas, e ataques e fofocas surgem de todos os lados? A solução está no livro bem humorado e simples de Luiz Gabriel Tiago. O autor consegue ensinar em Como driblar a raiva no trabalho como proceder em momentos de fúria e não se deixar contaminar pela tensão do dia-a-dia. São pequenas dicas de como superar essas dificuldades com rapidez e bom humor, sem deixar de confiar em si próprio e na competência que é adquirida com o tempo, afirma o autor.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

A gentileza é...



"A gentileza é a essência do ser humano. Quem não é suficientemente gentil não é suficientemente humano."
Joseph Joubert


Palestra com Luiz Gabriel Tiago - Rio de Janeiro/RJ - UNISUAM - 20/09

Tema: Como Driblar a Raiva no Trabalho

Contatos: (11)8235-9728 - São Paulo
                      (21)8027-7039 - Rio de Janeiro

Palestra com Luiz Gabriel Tiago - Curitiba/PR - Radisson Hotel Curitiba - 15/09

Tema: Como Driblar a Raiva no Trabalho

Contatos: (11)8235-9728 São Paulo
                       (21)8027-7039 Rio de Janeiro

Sutilmente (o coração também merece Gentileza)

Sutilmente
Skank
Composição: Samuel Rosa / Nando Reis


E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe
E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti.

domingo, 22 de agosto de 2010

BJUS BJUS - TABOÃO DA SERRA / SP - Essa empresa atende com GENTILEZA

BJUS BJUS - PIRAJUÇARA - TABOÃO DA SERRA/SP


Bjus Bjus é a mais nova loja de jeans e blusas multimarcas. Peças obrigatórias no guardarroupa da mulher moderna.

A Bjus Bjus nasceu em meados de 2009 inicialmente como uma loja de acessórios femininos e que por uma demanda na região foi migrando para moda feminina.

Na Bjus Bjus você encontra as últimas novidades e tendências da moda.



COMPRE ONLINE



ATENDIMENTO PERSONALIZADO



Entre em contato e seja atendido com CARINHO!

EU RECOMENDO!!!!

Luiz Gabriel Tiago

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O TEMPO - texto de Jöel Thrinidad

Quando está chovendo o que você faz?

Deixa de caminhar pelo parque, deixa de caminhar pelo bairro, deixa de ir ao mercado e resolve fazer outras coisas, inclusive ficar deitado debaixo do cobertor assistindo a um bom filme, enquanto descobre que aquilo era a única coisa da qual você mais precisava no mundo?
Assim mesmo é a idade. Com o tempo a gente deixa de fazer o que é obrigatório, o que é cansativo e o que a gente faz só para provar alguma coisa para alguém e aproveitar mais a vida com consciência e sem tanta pressa.
O tempo e a idade nos favorecem em muitas coisas que nem nos damos conta. Com o tempo descobrimos até aonde podemos ir, quais os nossos limites, no que devemos acreditar e também em quem confiar. A idade trás uma serie de vantagens, que a gente só conhece quando chega lá. É você quem resolver o que fazer dela. Todos os dias caminhamos para o final da vida e não para o começo. Para que essa pressa de todo dia?
Nada é permanente, muito menos o reflexo que você vê no espelho. Isso acontece com todo mundo, não é apenas com você. A única coisa a lamentar é que com o passar dos anos, tudo vai ficando mais caro para a nossa idade, mais alto para a gente alcance e mais apertado para a gente entrar.
Ninguém é Peter Pan, para poder parar no tempo e viver para sempre criança . E na verdade qual é a graça em parecer criança? Alguém venderia uma cerveja para o Peter Pan se ele fosse a uma boate depois do trabalho?
O bom da idade é perceber o que você pode fazer para estar melhor, não importando a idade que for. É ter colhido tantos frutos que irão lhe proporcionar um bom inverno, quando os dias ruins chegarem. É ter conhecido tanta gente e descobrir com o tempo que irá confiar em poucas. É poder olhar para alguém que quis envelhecer com a gente, alguém que sempre esteve ao nosso lado e ter a certeza de que ela nos ama mais agora do que com aquele que fomos no passado.
Acredito que a única coisa ruim de ficar velho é chegar nos altos dos seus cinqüenta anos e relembrar que com 18, seus pais não deixavam você fazer, o que ninguém o impediria que fizesse hoje.
Um dia meu pai me disse para eu crescer e ser um homem de bem, mas ele não me disse se quando eu crescesse e me tornasse um homem de bem, eu poderia voltar a ser aquele menino rosado que ele pegava no colo e fazia dormir dizendo palavras bonitas para tivesse um sonho bonito.
Para que você me fez sonhar com aquilo tudo pai, se mais cedo ou mais tarde, eu iria ficar sem respostas para tantas coisas dessa vida?


Por Jöel Thrinidad
Tributarista, Colunista Executivo e Escritor
Palestrante Sobre Comportamento e Relacionamentos Sócio-Corporativos


Além disso tudo, Joel Thrinidad é um grande ser humano e ótimo amigo.

Obrigado Joel por toda a força que tem me dado na minha trajetória profissional!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

É isso aí...




"As únicas pessoas que nunca fracassam são as que nunca tentam."

(Ilka Chase)



PROFETA GENTILEZA (pequeno vídeo)

EXTERMINANDO A SOLIDÃO * Por Luiz Gabriel Tiago

Está claro como água que se tropeçar, o problema será seu e de mais ninguém. Não interessa ao mundo o que acontece com você, pois você é único em sua existência e está disposto a acertar. O acerto está escrito e já decretou isso, pois suas determinações são soberanas.


Nem pensar em errar, já não se acha tão novo para delatar a sua vida assim. Não se exponha mais. Essa história de aprender com os erros já era para você. Agora só vai atingir o alvo de forma certeira, pois sua mira está aguçada e a gana pela harmonia pessoal é muito forte.

Inclusive, resolve se dedicar a alguma filosofia de vida ou religião para se reencontrar com Deus. Não que tenha perdido a fé. Mas acha na verdade que ela foi dar um passeio logo ali e acabou de voltar.

A sua esperança também se afastou por uma temporada, mas segurem-se quem puder, pois você deu um tropeção nela no meio da confusão, fizeram as pazes e juras de amor eterno. Assim sempre terá motivação para viver e não renunciar. Deixe que os outros desistam e sejam vencidos pela lassidão.

Que falem o que quiser, mas já é uma nova pessoa e tem pena de quem não é igual a você. Promete mentalmente que ajudará a todos que precisarem, afinal a solidariedade é nata e como não é egoísta, pretende dividir seu sucesso com todos. E sabe que vai ter muitas vitórias e colherá frutos recheados de um delicioso sabor de riqueza.

Planeja preparar uma grande festa para ser coroado diante de todos. A sua coroa não é a soberba ou vontade de humilhar ninguém. Quer que todos admirem sua determinação e garra e mostrar que a sua vida mudou. É rei enfim e pretende assumir sua posição permanentemente.

Seu trono é o triunfo de muitas conquistas baseadas no trabalho, garra e determinação. Sua majestade possui o comando e as rédeas da situação. A condução de sua vida é somente sua.

Você foi capaz de decifrar as esfinges, vencer as dificuldades e dar a volta por cima. E quanta poeira se fez durante esse período. E quem se levantou foi você e se ergueu em riste. Agora só existem neblina e obscuridade diante das coisas ruins. Não enxerga mais o mal e não deseja a mesquinharia. Só consegue avistar aqui, milhas adiante e à velocidade da luz. Avante forte desbravador! Esse é o seu lema e a sua bandeira é o amor e não se canse de defendê-los e tomá-los como lei para sua casa, família e trabalho. Sua forma de pensar faz parte da realização pessoal e concretize seu raciocínio e sapiência.

Ops! Sente um vazio dentro do peito e quer preenchê-lo imediatamente. Segue sua intuição e descobre o que incomoda: ainda não recuperou a pessoa amada que também foi embora naquele tempo que fazia o que os outros queriam. Não espere até amanhã para recuperá-la. Faça-o agora mesmo e devolva ao seu coração a energia primordial da humanidade.

Delibere-se resgatar sua vaidade e deixe o orgulho banal de lado. Ninguém vive sozinho, muito menos você. Você será mais forte na companhia daquela pessoa e sabe que dividir a alegria é muito bom. Vale à pena rever as imaturidades do relacionamento e dar valor aos momentos de alegria que foram muito maiores e valorosos.

Só os imbecis valorizam os erros e defeitos. Seja superior e não vandalize o querer. Não marginalize o companheirismo e a espiritualidade. Nem pensar em envelhecer solitário, muito menos em destruir seu pedacinho de afeto e ternura. A reconstrução da sua família será fundamental nessa nova fase que será eterna. Seu coração tem vontade própria e quer ser feliz.

Você é uma grande rocha vitalícia que se transformou com o tempo e nunca se acaba. A pedra é perpétua e não possui face, a não ser que você a esculpa com suas mãos e a desenhe da forma que quiser. Dê vida a ela e veja como tudo é tão bom. Você é assim agora e conseguiu se transformar no que é mais belo. Um ser forte e capaz de enfrentar os obstáculos, admirar o sol e sorrir para o mundo. Não é qualquer um que pode sentir a alegria nas crianças, o perfume das flores e a importância da amizade. Sede gentil contigo. Sede gentil com a vida.

 
LUIZ GABRIEL TIAGO
 

Se é assim....não perde nada, né?



"As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas."

(Sun Tzu)



O Taboanense - www.otaboanense.com.br

Obrigado ao Portal "O Taboanense" pela linda matéria que fizeram comigo essa semana. Hoje foi publicada pelo jornal onde sou Colunista semanal.


Podem ler toda a entrevista através do link:

http://www.otaboanense.com.br/noticia/3090/colunista-do-portal-o-taboanense-lança-livro-sobre-a-“raiva”/

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

COMO DRIBLAR A RAIVA NO TRABALHO - 2a. EDIÇÃO - LUIZ GABRIEL TIAGO


Prezados Amigos,

Caso queiram um exemplar do livro, podem falar comigo que providencio. O valor é R$12,50 (preço acessível a todos).

Abraços,

Luiz Gabriel Tiago

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

VENCENDO O CANSAÇO E O DESÂNIMO * Por Luiz Gabriel Tiago

Se chegarmos a essa altura do campeonato e nos sentimos cansados - mas nunca desistimos - devemos raciocinar e refletir sobre o que queremos. Sei que sabemos os nossos anseios e disputamos boas colocações todos os dias nesse meio desenfreado.


Já alcançamos algo por isso. Conquistamos espaço e temos peso no mercado. Se o desânimo nos abater, devemos recomeçar, pois nunca é tarde para isso. Aliás, nunca é tarde para nada. A desistência é que não pode dominar nossas cabeças e talento adquirido com a experiência.

Ninguém é capaz de subtrair aquilo que aprendemos, pois somos indivíduos com sensações e vivências únicas. Digo que tudo o que vivemos é pessoal e intransferível.

Todos nascem com inteligência e potencial para alguma coisa. Conhecemos pessoas que mal sabem ler e escrever e, mesmo assim, desenvolvem habilidades que, mesmo que tentemos, não conseguiríamos obter com o mesmo êxito.

Já se imaginou cuidando muito bem de crianças como as babás e criando um vínculo extremamente forte com suas famílias? Já se imaginou trabalhando em cemitérios enterrando pessoas e conseguir dormir normalmente todas as noites? Pense agora naqueles profissionais que arriscam suas vidas como os bombeiros e policiais. São pessoas que detêm competências natas e que desenvolvem suas atividades com toda a dedicação e esmero como você que está lendo esse texto, independente de sua vocação ou habilidade.

Pois bem, existem pessoas que fazem isso e gostam muito. Pena que muitos se depreciam por se acharem velhos demais ou sem dom para nada.

O começo (ou recomeço) para muitos pode ser complicado principalmente quando elencam muitos obstáculos e dificuldades para tentarem dar uma guinada em suas vidas, principalmente quando reclamam que ou nunca têm tempo ou que não vão ter o apoio da família.

Dizem que existem pessoas que dependem de sua dedicação como os filhos ou os pais por serem muito velhos. Não encontram solução ou saída para voltar a estudar e, muitas vezes, ainda precisam ser alfabetizadas. As possibilidades de esse projeto dar certo são muito maiores do que os empecilhos que promovem, pois parece que seus problemas são maiores que os de outras pessoas.

O que vale mesmo é a coragem e traços de talento que são natos de todos os sujeitos.

Conheço mulheres e homens que recomeçam suas vidas depois dos quarenta anos e se sentem revigoradas como um jovem adolescente. A idade mental é que determina o que cada um pode fazer e ser. A vontade de dar a volta por cima é soberana e vital para quem realmente quer alcançar alguma coisa.

As empresas hoje procuram pessoas dispostas a investir em suas carreiras independentemente da idade ou sexo. A vontade de seguir em frente e se dedicar são preponderantes num processo de seleção. Não existe distinção desses itens mais.

Não crie dificuldades que não existem. Não se ache a pessoa mais incapaz do mundo. Não culpe os outros pelos seus problemas. Somos aquilo que queremos e podemos alcançar nossos objetivos - basta traçá-los e se esforçar bastante. Não se preocupe com poucas horas de sono ou se tem que se deslocar muito até o trabalho ou escola. Nunca ouvi dizer que alguém morreu porque trabalhava muito longe de sua moradia. Realmente, sei que é desgastante e cansativo, mas não dá pra desistir por esse motivo. Conheço pessoas que se desligam do trabalho por e não dá pra aceitar essa desculpa. Na verdade, querem mesmo é não fazer nada e viver do favor dos amigos e parentes. Gostam do ócio e de ficar em casa descansando, pois acham que a vida é feita de sombra e água fresca.

Não deixe esse mundo te levar para o abismo e não se acostume com a indisciplina. Seja gentil com sua consciência e se orgulhe de si próprio. Abrace essa causa para se lembrar do passado com alegria e satisfação.

Peço desculpas se estou sendo bastante franco em relação a isso, pois na verdade, quero chamar a atenção de pessoas que se aproveitam do esforço de outros para viver. Para esses digo que devem buscar o estudo e o trabalho, pois se esperarem sentados algo de bom acontecer, podem cansar. Aliás, perdão mais uma vez. Pessoas assim nunca cansam de fazer nada!

Não se permita ser incluído nesse time de derrotados. Procure a coragem dentro de si e lute bastante para ser feliz. Procure um emprego, se dedique e cuide de sua vida. Não se abata diante das dificuldades e não desvie sua atenção para o que os outros fazem ou pensam.

Aja com personalidade e com vontade de chegar lá. A linha de chegada está pronta para pessoas empreendedoras e que não têm medo de viver. Levante sua auto-estima, não espere milagres acontecerem e não acredite em ilusões, pois o mundo não é nenhum conto de fadas.

Temos que nos espelhar naqueles que deram certo e saber como fizeram para alcançar a realização.

É muito bom atingir o ponto máximo, pois os limites somos nós que determinamos. Depois que se sentir preparado, elabore um bom currículo e busque sua vaga ou promoção. Tem sempre alguma empresa esperando por alguém como você. Insista e acredite na vida.


LUIZ GABRIEL TIAGO

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Humildade e Simplicidade * Por Luiz Gabriel Tiago

Sempre pensamos que estamos prontos para tudo na vida e, principalmente, que sabemos o suficiente para resolvermos nossos problemas. Quem nunca se pegou dando conselhos a algum amigo e se sentiu o mais experiente (como sempre)? Essa ideia é muito natural, pois sempre passamos por atribulações que acabam fazendo com que a gente amadureça e aprenda pelo pior meio, que é o sofrimento. O importante nisso tudo não é se sentir o maioral e o onipotente; é saber aproveitar as mensagens que a vida deixou e (re) aprender com os desafios. Pois é, cada dia que vivemos é como se fosse um grande enigma a ser decifrado. E se pararmos pra pensar, podemos acabar enlouquecendo. Subtrair as tristezas e maximizar os momentos felizes é fundamental para o equilíbrio emocional e estabilizar nossas almas. Devemos encarar todas as horas como desafiantes a nossa inteligência e como teste de sobrevivência. Longe do pessimismo, quero enfatizar que nada sabemos até experimentarmos. Temos que vivenciar e provar das alegrias, frustrações, vitórias e derrotas. Para muitos que têm esclarecimento e discernimento, perder pode significar uma vitória. Sabe aquela coisa do “downsizing” que aprendemos nos livros e que é bastante atraente? Significa que muitas vezes precisamos perder literalmente para podermos recomeçar e fazer uma reavaliação de nosso comportamento e se estamos de acordo com nosso plano e sonhos traçados para o futuro.

Essas considerações são minimalistas e bastante egocêntricas, claro. Consideramo-nos os mais sofridos de todos os mortais e os nossos problemas sempre são os maiores do mundo. Mas, bem lá no fundo, sabemos que isso não é verdade. Pra ser bastante realista e desprovido de pragmatismo, nossa realidade é bastante diferente da dos outros. Um dia conheci uma pessoa que me relatou seus problemas e fiquei estarrecido. Classificava-me como o mais sofrido dos mortais e, de repente, mudei de opinião e tive que refletir sobre a felicidade. Aliás, refleti sobre a tristeza que eu não sentia. Era feliz e não sabia. Aproveito para retificar: sou e sempre fui feliz. O otimismo é minha segunda pele hoje. Não posso e não sei viver sem ele mais. Acredito fielmente na capacidade de transformarmos nossas vidas e mudarmos o curso do destino, pois só temos dois caminhos a seguir: ou nos entregamos (pode ser um caminho sem volta) ou damos a volta por cima (é muito bom).

Outra coisa que aprendi (e pude comprovar isso) é que existem pessoas que têm muito mais experiência e sabedoria que a gente pensa. Como as pessoas amadurecem e aprendem com a própria vida! Os problemas dos outros não podem ser vividos e apreendidos por nós e vice-versa, mas como é interessante e mágico internalizar e ouvir conselhos sérios e comprometidos com o bom caminho.

As empresas estão exigindo cada vez mais de seus profissionais colaboradores e a pressão aumenta consideravelmente – sempre. Alcançar os resultados e ultrapassar as metas são quesitos decisivos pela manutenção de uma posição dentro da corporação. Mas isso, até então, não seria motivo para que os seres humanos se distanciassem uns dos outros e rivalizarem como se fossem gladiadores num dia de fúria. A não ser que algo de errado aconteça internamente e promovam essa instância de discórdia e desunião. Na maioria das vezes os erros não são dos procedimentos ou das normas exigidas pelas empresas. Pelo contrário, muitas delas se preocupam com essas questões e pretendem humanizar o espaço de trabalho e beneficiar suas equipes da melhor maneira possível. O problema vem dos seres humanos que ali ficam oito, dez, doze ou mais horas diárias – e não precisam, necessariamente, ocupar cargos de chefia ou liderança. Podem se sentir sobrecarregados e começarem a negligenciar sua postura perante as outras pessoas.

A falta de diálogo (sincero) e a ambição fazem que com a concorrência seja injusta e essa busca (por não sei o quê) desenfreada por um lugarzinho ao sol. Todos querem chegar lá e não sabem como fazê-lo. Esquecem-se de que a competência e dedicação são fundamentais para isso e que, ao invés do estresse, deveriam ter confiança para poderem sobreviver nas corporações.

Bons profissionais sabem que o reconhecimento é adquirido com bastante comprometimento, estudo e persistência e, além de tudo, muita ética e dignidade. Esses valores são fundamentais para o crescimento íntegro e verdadeiro dentro e fora do local de trabalho. Os esforçados de verdade não precisam se preocupar. O próprio mercado se encarrega de fazer a seleção e exterminar as ervas daninhas.

Com o tempo passamos a ver que as pessoas são capazes de qualquer coisa para alcançarem seus objetivos. Fazem e falam o que querem em qualquer momento ou circunstância. Não se preocupam com os colegas e “atacam” a todo instante. Armam ciladas ou motins, além de formarem grupos para “minar” os bons profissionais. As palavras e os discursos têm que ser bem dosados para não causar raiva e incômodo no ambiente de trabalho, pois podem ferir e comprometer o rendimento dos colaboradores - líderes ou liderados.

O jogo nunca estará perdido se tivermos paciência e considerarmos a velocidade absurda que as informações circulam, afinal estamos num mundo globalizado e supostamente civilizado. Todos que são empenhados precisam acompanhar as orientações pontuais e a avalanche de “sugestões” que são impostas. A boa educação e o caráter deverão ser utilizados como guias para a boa conduta e nortear aqueles que realmente desejam vencer com dignidade e competência. Esse último – o caráter – deve ser acompanhado pelos gestores para que ninguém seja corrompido e integrado ao grupo do contra. As virtudes e qualidades geralmente são deixadas de lado quando algum indivíduo almeja “vencer” algum desafio e não se preocupa com ninguém que esteja a sua frente.

Portanto, defendo o profissional completo, ou seja, aquele que é competente tecnicamente, é capaz de racionalizar emocionalmente e tem a habilidade de se colocar no lugar do outro.

Acabamos nos tornando imunizados ou anestesiados com as dificuldades e pedras do percurso. Os problemas estão aí e devem ser resolvidos e não dá mesmo para fugir deles.

A mensagem que quero deixar é de otimismo e paz. Pretendo transmitir a segurança interior e capacidade que cada um de nós tem em mudar as coisas. Podemos e devemos fazer as melhores escolhas e não ter medo de errar. Acertar sempre seria excelente, mas infelizmente só aprendemos quando erramos.


LUIZ GABRIEL TIAGO


 

Reflexão


"A DISCIPLINA É MÃE DO ÊXITO"

Esquilo



domingo, 8 de agosto de 2010

Obra de arte de um jovem poeta de Taboão da Serra - Daniel Terra


"hoje o dia foi bom,
acordei tarde mais tudo de bom
vitamina de neston curtindo um som!
um truta colô na responça, deixo uma palavra
era um role que minava!
a Paulista inchada de gente correndo toda a madrugada,
pessoas drogadas,pessoas formadas
o sol me pegava a fumaça passava e ninguém falava nada!
pessoas magoadas, da forma de vida que estava.
deitados em um banco que dizem ser sua casa,
na panela fritava a fome
passava o olha ficava e a barriga amargava.
o corpo ficava, a mente elevava sem preocupação
ouvindo um som que é muito bom pra distrair a cabeça !
na velo eu vou passar a manobra
calcular pra com perfeição
executar pra num flash me guardar
pra depois poder pirar
Meu skate e velho mas
eu sei usar ! ! !


* ass: Daniel Terra <" simples mente "

Madre Teresa e os PAIS



"Sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele o oceano seria menor"

Madre Teresa de Calcutá



Desejo boa semana a todos os PAIS trabalhadores, esforçados e que, com bastante sacrifício, se dedicam e se preocupam com os filhos, não dormem, sofrem e desejam um futuro melhor para a prole.

PAI, com certeza o oceano seria muito menor sem você e sem o seu trabalho!


LUIZ GABRIEL TIAGO

Pai...



As tuas mãos tem grossas veias como cordas azuis

sobre um fundo de manchas já cor de terra

— como são belas as tuas mãos —

pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram

na nobre cólera dos justos...



Porque há nas tuas mãos, meu velho pai,

essa beleza que se chama simplesmente vida.

E, ao entardecer, quando elas repousam

nos braços da tua cadeira predileta,

uma luz parece vir de dentro delas...



Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente,

vieste alimentando na terrível solidão do mundo,

como quem junta uns gravetos e tenta acendê-los contra o vento?



Ah, Como os fizeste arder, fulgir,

com o milagre das tuas mãos.

E é, ainda, a vida

que transfigura das tuas mãos nodosas...

essa chama de vida — que transcende a própria vida...

e que os Anjos, um dia, chamarão de alma...



(Mario Quintana)



 

FELIZ DIA DOS PAIS - com Arthur da Távola





Hoje é dia de meu aniversário.

E de todas as minhas modestas dimensões humanas,

a que mais me realiza é a de ser pai.

Ser pai

é acima de tudo, não esperar recompensas.

Mas ficar feliz caso e quando cheguem.

É saber fazer o necessário por cima e por dentro da incompreensão.

É aprender a tolerância com os demais e exercitar a dura intolerância

(mas compreensão) com os próprios erros.


Ser pai

é aprender errando, a hora de falar e de calar.

É contentar-se em ser reserva, coadjuvante,

deixado para depois. Mas jamais falar no momento preciso.

É ter a coragem de ir adiante, tanto para a vida quanto para a morte.

É viver as fraquezas que depois corrigirá no filho, fazendo-se forte em

nome dele e de tudo o que terá de viver para compreender e enfrentar.

Ser pai

é aprender a ser contestado mesmo quando no auge da lucidez. É esperar.

É saber que experiência só adianta para quem a tem, e só se tem vivendo.

Portanto, é agüentar a dor de ver os filhos passarem

pelos sofrimentos necessários,

buscando protegê-los sem que percebam,

para que consigam descobrir os próprios caminhos.


Ser pai

é saber e calar. Fazer e guardar. Dizer e não insistir.

Falar e dizer. Dosar e controlar-se. Dirigir sem demonstrar.

É ver dor, sofrimento, vício, queda e tocaia, jamais transferindo aos filhos o que,

a alma, lhe corrói. Ser pai é ser bom sem ser fraco. É jamais transferir aos filhos

a quota de sua imperfeição, o seu lado fraco, desvalido e órfão.

Ser pai

é aprender a ser ultrapassado, mesmo lutando para se renovar.

É compreender sem demonstrar, e esperar o tempo de colher,

ainda que não seja em vida.

Ser pai é aprender a sufocar a necessidade de afago e compreensão.

Mas ir às lágrimas quando chegam.

Marina e o pai "babão"

 
Ser pai

é saber ir-se apagando à medida em que mais nítido

se faz na personalidade do filho,

sempre como influência, jamais como imposição.

É saber ser herói na infância, exemplo na juventude

e amizade na idade adulta do filho.

É saber brincar e zangar-se. É formar sem modelar, ajudar sem cobrar,

ensinar sem o demonstrar, sofrer sem contagiar, amar sem receber.


Luzia e o pai coruja
Ser pai

é saber receber raiva, incompreensão, antagonismo, atraso mental, inveja,

projeção de sentimentos negativos, ódios passageiros, revolta, desilusão

e a tudo responder com capacidade de prosseguir sem ofender;

de insistir sem mediação, certeza, porto, balanço, arrimo, ponte,

mão que abre a gaiola, amor que não prende, fundamento, enigma, pacificação.

Ser pai

é atingir o máximo de angústia no máximo de silêncio.

O máximo de convivência no máximo de solidão.

É, enfim, colher a vitória exatamente quando percebe que o filho

a quem ajudou a crescer já, dele, não necessita para viver.

É quem se anula na obra que realizou e sorri, sereno,

por tudo haver feito para deixar de ser importante.



Arthur da Távola
 
 
Marina e Luzia

sexta-feira, 6 de agosto de 2010



Lya Luft


Deixa-me errar alguma vez,

porque também sou isso: incerta e dura,

e ansiosa de não te perder agora que entrevejo um horizonte.

Deixa-me errar e me compreende

porque se faço mal é por querer-te

desta maneira tola, e tonta, eternamente

recomeçando a cada dia como num descobrimento

dos teus territórios de carne e sonho, dos teus

desvãos de música ou vôo, teus sótãos e porões

e dessa escadaria de tua alma.

Deixa-me errar mas não me soltes

para que eu não me perca

deste tênue fio de alegria

dos sustos do amor que se repetem

enquanto houver entre nós essa magia.
 

Até a Rapa - Por Martha Medeiros



"Olhe para um lugar onde tenha muita gente : uma praia num domingo de 40 graus, uma estação de Metrô, a rua principal do centro da cidade. Pois metade deste "povaréu" sofre de dor-de-cotovelo. Alguns trazem dores recentes. Outros trazem uma dor de estimação, mas o certo é que grande parte desses rostos anônimos têm um amor mal resolvido, uma paixão que não se evaporou completamente, mesmo que já estejam em outra relação. Porque isso acontece ? Acho que as pessoas não gastam seu amor. Isso mesmo ! Os amores que ficam nos assombrando não foram amores consumidos até o fim. Você sabe ... O amor acaba ! É mentira dizer que não ! Uns acabam cedo. Outros levam 10 ou 20 anos para terminar. Talvez até mais, mas, um dia acaba e se transforma em outra coisa : amizade, parceria, parentesco; e essa transição não é dolorida se o amor foi devorado até a "rapa". Dor-de-cotovelo é quando o amor é interrompido antes que se esgote. O amor tem que ser vivenciado ! ... ninguém tem tempo para esperar. E tem que ser vivido em sua totalidade ! É preciso passar por todas as etapas do amor : atração; paixão; amor; convivência; amizade; tédio e fim. Como já foi dito, este trajeto do amor pode ser percorrido em algumas semanas ou durar muitos anos, mas é importante que transcorra de ponta a ponta, senão sobra lugar para fantasias, idealizações, ... enfim, tudo aquilo que nos empaca a vida e nos impede de estarmos abertos para novos amores. Se o amor foi interrompido sem ter atingido o fundo do pote, ficamos imaginando as múltiplas possibilidades de continuidade. Tudo o que a gente poderia ter dito e não disse. Feito e não fez. Gaste seu amor ! Usufrua-o até o fim ! Enfrente os bons e os maus momentos, passe por tudo que tiver que passar. Não se "economize" ! Sinta todos os sabores que o amor tem, desde o adocicado do início até o amargo do fim, mas não saia da história na metade. Amores precisam dar a volta ao redor de si mesmo..."

Martha Medeiros

Bom Dia do Sr. Gentileza




"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina."

Cora Coralina



quinta-feira, 5 de agosto de 2010



"Se alguém vier com grosserias e insultos,
seja paciente e acalme-o.
Até o rio mais impetuoso é engolido
 pela calmaria do mar."

( Dantas)

SE ENCHA DE SI MESMO * Por Luiz Gabriel Tiago

“Se encha de si mesmo, de todas as condições possíveis para mudar o que não lhe agrada. Corra, faça exercícios, conheça pessoas, se permita ser conhecido por elas e de uma vez por todas esqueça tudo o que pode ser recolocado e só admita qualidade a sua volta, do contrário irá colocar a sua vida sempre à beira da tristeza.”
Joel Thrinidad


Retirei esse fragmento de um texto anônimo cujo autor eu desconheço e resolvi postá-lo por transmitir tudo aquilo que precisamos. Leia com atenção e veja se o conceito de “gentileza” não está inserido nele.

Precisamos admitir e enxergar que nós somos as pessoas mais importantes do mundo. Não importa se os outros não te aceitem como é e queiram que seja algo diferente. Mas se sinta dessa forma – uno com o mundo e dono da sua própria vida. Pratique a gentileza ao próximo, principalmente na sua família, círculo de amigos e empresa que trabalha. O relacionamento interpessoal deve ser pautado na boa educação, cordialidade, solidariedade e espírito de equipe.

Sem querer ser redundante com o tema, enfoco que, às vezes, não é nada fácil manter uma postura equilibrada e sensata. O estresse causado pela correria pode nos fazer esquecer das boas maneiras e sobrepô-las à gentileza. Acabamos deixando de fazer e falar o fundamental por causa do “protocolo” do politicamente correto que é ditado pelos soberanos tiranos do seio empresarial.

Mas, pensem bem num detalhe: você gostaria de ser maltratado todos os dias e por horas consecutivas por seus superiores? Gostaria de passar por humilhações e ser constantemente agredido verbalmente? Na verdade, nem percebemos nossas atitudes com nossos colaboradores e eles sentem a indiferença ou estupidez. Acabam sofrendo e muitas vezes isso é desnecessário.

Todos somos seres humanos e temos sentimentos. Ninguém é feito de gelo ou cimento para ser imune as atrocidades dos “chefes” insanos que se sentem os donos do mundo. Além disso, ninguém é obrigado a aturar estado de mau humor, insensatez e escutar palavrões o tempo inteiro. Para ser um verdadeiro líder, deve conhecer os conceitos básicos inerentes ao cargo e, um dos principais, é saber motivar a equipe e convencê-la de que suas ideias são boas. Nunca (jamais mesmo) provoque uma pressão dispensável ou faça com que os colaboradores trabalhem por medo ou coação.

Se você é empresário, diretor, gerente, supervisor ou tenha qualquer outro cargo de chefia, muito cuidado com o assédio moral. Hoje em dia as pessoas estão se tornando mais esclarecidas e buscando seus direitos. Já se imaginou num tribunal respondendo um processo por isso? Pense bem a aja de acordo com a civilidade!

Luiz Gabriel Tiago