domingo, 28 de fevereiro de 2010

DESAFIOS X DIFICULDADES

Como superar os obstáculos que aparecem em nossas vidas sem nos abatermos e querermos desistir? Como não nos entregarmos à apatia sem acharmos que tudo acontece com a gente? Essas questões nos remetem à cruel conclusão de que somos impotentes e que sempre existirão pessoas que farão de tudo para nos boicotar, nos sentirmos deprimidos e não conseguimos relaxar. As dificuldades surgem sem dar sinais de sua eminência. Percorrem os caminhos à velocidade da luz e insistem em nos provar e testar constantemente. Porém, ninguém em sã consciência quer passar por isso. Ninguém deseja o mal para si, muito menos exasperar a derrota.
Vamos refletir então e achar a moral da história (se é que ela existe). Primeira coisa a ser feita: não confundir Desafios com Dificuldades. Os desafios nos impulsionam a fazer mais alguma coisa e atingirmos nossas metas; eles nos impulsionam, nos revigoram e injetam o "gás" necessário para seguirmos em frente. Na verdade, nos motivam e são uma espécie de mola propulsora para o sucesso. E estamos, diariamente, nos desafiando, mas sempre conseguimos enxergá-lo como necessário.
As dificuldades executam e exterminam as "moléculas-da-vitalidade". São como uma esponja a sugar as energias vitais que toda pessoa empreendedora precisa. Ao contrário dos desafios, as dificuldades empurram em direção descontinuada e facilitam a queda na beira do precipício.
Diante do conhecimento desses dois conceitos podemos iniciar a segunda fase que é a de transformação ou conversão dos valores. Existe um ditado (desconheço o autor) que diz: "O que não me destrói, me fortalece". É importante lutarmos contra o sentimento de derrota e transformar as intempéries em força para lutar. A lei da selva nos exige sem cessar a recarga automática das energias e garantir nossa sobrevivência.
A concorrência é saudável, os obstáculos existem e sempre farão parte de um todo. O universo funciona como uma engrenagem e nenhuma das peças pode falhar. Uma depende da outra e estão intrinsecamente ligadas. Um elo com defeito compromete e pode corromper todo o sistema.
Realmente, nossas cabeças são como uma máquina de relógio. Tudo deve funcionar com perfeição para evitarmos a pane. As empresas nos consomem, nos exigem e devemos estar de prontidão para atender suas necessidades.
A vida não para e não podemos permitir a inércia. Terceira fase: máquina é máquina e ser humano é ser humano.
LUIZ GABRIEL TIAGO

PIPELINE

O que e PIPELINE?

Ao pe da letra, Pipeline, significa canalização, tubulação usada para o transporte a grandes distâncias de fluidos, especialmente petróleo (oleoduto) ou gás (gasoduto).


Mas podemos utilizar essa palavra no nosso dia-a-dia como "algo que esta previsto". Por exemplo:


"Alguns projetos estao no pipeline da empresa".


"Temos algumas metas no pipeline".


"O pipeline da hotelaria anuncia um aumento do Revpar para o proximo semestre".


"Alguns incrementos e mudancas no comportamento do mercado estao no pipeline do Turismo".


Essa palavra e muito utilizada em linguagens de programacao tambem, quando uma nova tarefa precisa ser executada sem que a anterior tenha sido completada.


Caso alguem queira comentar e/ou confrontar essa analise, por favor complemente para que possa ampliar a utilizacao desse termo.



LUIZ GABRIEL TIAGO

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Como manter-se jovem (autor desconhecido)

1. Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura.Deixe que os médicos se preocupem com isso.
2. Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo. (Lembre-se disto se for um desses depressivos! )
3. Aprenda sempre: Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja.. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso. 'Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.' E o nome do Alemão é Alzheimer!
4. Aprecie mais as pequenas coisas.
5. Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele / ela!
6. Quando as lágrimas aparecerem, aguente, sofra e ultrapasse. A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós próprios. VIVA enquanto estiver vivo.
7. Rodeie-se das coisas que ama: Quer seja a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refúgio.
8. Tome cuidado com a sua saúde: Se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhorá-la , procure ajuda.
9. Não faça viagens de culpa.Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente, mas NÃO para onde haja culpa.
10. Diga às pessoas que ama que as ama, a cada oportunidade.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

GENTILEZA DO SAMBA

Há muito tempo não tinha a oportunidade de vivenciar a realidade do mundo popular, entranhado num espaço aonde as pessoas queriam somente viver e saborear através da música e se sentir soberanas na sua arte. Uma forma de dizer que são unânimes e poderosas independente de quanto ganham de salário, qual carro têm e onde moram e sem importar a religião e etnia. Todos podem e devem comungar da mesma energia e entusiasmo que se espalha e contagia a quem presencia.

O samba possui uma magia inquestionável e, pra falar a verdade, deveria ser exclusivo daqueles que sabem admirá-lo. Os negros (não vou utilizar nenhum outro termo por não ser o "correto") têm total propriedade sobre esse ritmo e conquistam qualquer espaço que seja cantado. Dançam com maestria e desbancam a pompa de qualquer branco. Não faço conjecturas à etnia, e sim, reforço o talento nato e entranhado nos afro-descendentes.

Todos sabem da minha admiração pela cultura e história dos negros e, mais do que ninguém, defendo a exclusividade de sua arte. Desde a sua história, vindos de um continente escravizado, sua religião, seu desembaraço com a vida e sua habilidade de contornar a crise, até sua postura em relação ao seu sangue. Bravos e louros para eles que podem fazer arrepiar qualquer sujeito quando se depara com suas manifestações.

Voltando ao samba, quero testemunhar a alegria comovente e praticamente sem adjetivos da espontaneidade que vem das entranhas. Não faço menção ao pagode mal feito. Faço jus aquele samba de mesa possuidor de uma arte envolvedora e que comove qualquer turista que vem, principalmente, ao Rio de Janeiro. Não precisa conhecer o idioma e nunca ter escutado um samba do Zeca Pagodinho ou de Beth Carvalho. Basta escutar e ver. E não precisa ver com os olhos (sem redundâncias), tem que enxergar com o coração e alma. Estava lá na hora certa e com as pessoas certas e não poderia deixar de escrever esse artigo descrevendo minha experiência.

Sempre soube que isso existia e já participei de encontros em redutos típicos. Imaginem o samba numa mesa de bar, tocado por negros, dançado por negros, a maioria de negros, negros e sua peculiar forma de demonstrar amizade. Ali ninguém pode ser infeliz! Isso é regra e não se assuste se alguém numa tristeza muito grande começar a chacoalhar os ombros ou os pés.

Esses movimentos são impulsionados pela energia transmitida e induzida pela emoção.

Existem muitos autores e poetas que viveram para isso. Até hoje admiro a capacidade de abdicar do sofrimento em prol da magia do cantar. Não é um cantarolar pretensioso, pelo contrário. Trazem as pessoas (como nós) a reflexão instantânea de como viver. Não querem sofrer e fizeram essa opção. É ótimo. Vale à pena. Logicamente que não vou abrir mão de minha vida profissional e pessoas para viver do samba... A boemia referida é a forma correta de encarar os sofrimentos e obstáculos. Basta viver e simplesmente encontrar nas horas difíceis algo para se apoiar.

Deparamo-nos todos os dias com uma rotina totalmente sugadora de nossas energias através do trabalho, problemas familiares e dificuldades vividas por outras pessoas. Ah! Como nos envolvemos com os trâmites insuportáveis de outras pessoas.

Devemos parar e racionar como os poetas e compositores. Desejemos sua leve forma de encarar os procedimentos e burocracia inerentes a qualquer sujeito moderno ao nosso ambiente. Nossa forma de agir e realizar coisas devem ser pautadas nessa filosofia popular.

A gentileza também está inserida nisso, afinal, não haveria samba sem a amizade, solidariedade e humanismo. Sorte daqueles que têm essa oportunidade. Sorte minha, sua e de quem quiser. Samba (do bom) e gentileza pra você também.

LUIZ GABRIEL TIAGO

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

UNIDOS DO VIRADOURO 2010 (Meus votos de boa sorte)

NITEROI = VIRADOURO = RIO = MAIOR CARNAVAL DO MUNDO
-México, o Paraíso das Cores, sob o Signo do Sol-


SINOPSE DO CARNAVAL 2010


Feche os olhos. Se permita aflorar os sentidos. Se faça pleno de emoção, para viajar e experimentar. Sinta o calor do sol que nos abraça e nos convoca a sorrir e a comemorarO sinal vital do tempo de festejar.Da honra de coroar, com toda paixão, nossa união com a vida,Traduzida em forma de carnaval. É a hora de homenagear uma nação guerreira, Irmã de alma, quente e tenaz, Latina.Pela mágica retina da folia, celebrar “A criação”. Nascida nos esboços em carvão de um artista,Na paleta das cores geniais de Rivera e Frida,Criar, valorizar, misturar as raças. Reclamar a ideologia mestiça! Inspirar uma arte a serviço do povo!Arte que vibra. Transborda de alegria. Pintar nos murais, as cores intensas, vivas de liberdade Para invadir as fachadas, ganhar as ruas Em desenhos radiantes, explodir em criatividade espontânea; E contar as narrativas do dia-a-dia...Nas antigas lições do passado, agregar o valor das memórias, De fábulas de lutas e glórias.Fazer florescer, em meio às sombras, Cidades dos sonhos. “Lugar onde se fazem os Deuses”...Relembrar o resplandecer dos templos sagrados de Deuses agrários, Das pirâmides do sol e da lua, Dos palácios bordados com pedras de jade e turquesa, Perdidos no crepúsculo do findar de mitos e crenças, Do legado ceifado pelas mãos do invasor. O ouro e prata, maculados, tesouros cobiçados por piratasCruzam o Caribe rumo a além-mar.E nas batalhas da ambição, regidas pela dor, Sem honras nem glórias, o baú que encontram é o das almas No fundo do mar. A lâmina afiada da degradação é a catequese do medo,Irmanada com as novas doenças e a fomeQue se aflige porém, com os sinos que dobram e anunciam o brado da luta.
O “grito” que ecoa evoca uma independência pálida, sem cor,Sem “terra e liberdade”.Que clama por seus heróis nacionais, “Caudillos” generais do povo,De lenços vermelhos, sangue guerreiro, dos camponeses, dos “Rancheros” Líderes mestiços de “Sombrero”, Pancho Villa e Zapata, Salve a revolução!Salve a mistura de ingredientes que temperam esta terra, De sol e tequila, de “señoritas” de olhos negros e cabelos sedosos, De“Mariachis” e índios, de corações nobres e sentimentaisCom uma pitada de saudade, do sorriso de Cantinflas.Vivo na alegria dos aromas e sabores, dos “Tacos, Tortillas e Chiles”.No clima dos costumes, dos dias de festas, Em que a música e a dança, enchem de vida belos vestidos de renda Que rodopiam num bailado multicor de tradição nativa. Fantasiada de esqueleto, bem-humorado, que celebra o dia de finados. Um paraíso natural que não rima com tristeza. Pátria maior, orgulhosa da capital, a Cidade Monstro, Da Babilônia da Fronteira, do “Pote de Ouro”, Da “Capital da Prata”, da “Cidade dos Anjos”, De cenários mágicos de se perder o fôlego, De lembranças doces, com o gosto da vitória, Sob o aceno dos “sombreros” a conquista verde e amarela.Numa terra gloriosa, dona de uma história esculpida em pedra, Contada na arte das paredes que falam, Real, pelo suor de filhos fortes que teimam em renascer. Para rogar à Virgem padroeira, sua benção. A Viradouro então abre o coração, Com seus sentidos aflorados, se une ao México pleno de amor e coragem, Para seguir o caminho da felicidade, Coberto por rosas, sem espinhos, Iluminado pelo eterno Signo do Sol e pela fé em Guadalupe.É Carnaval, é Alegria, é México!


Autores da sinopse: Edson Pereira e Junior Schall.

Presidente: Marco Lira.