quinta-feira, 4 de novembro de 2010

ENTENDENDO A GENTILEZA NO TRABALHO * Por Luiz Gabriel Tiago @senhorgentileza

Acredito na capacidade do ser humano de gerar sentimentos positivos com seu próximo e ter a habilidade de colocá-los em prática. Todos nós temos que conhecer a definição da palavra “empatia” e multiplicá-la, pois muitas coisas se tornam mais fáceis quando conseguimos nos colocar no lugar dos outros.
Isso pode acontecer dentro de casa (com os familiares), na rua (com os amigos) e no trabalho. Esse último ambiente é muitíssimo favorável à desunião e proliferação de atos daninhos e prejudiciais ao nível de estabilidade emocional dos indivíduos, principalmente por passarmos a maior parte de nossas vidas no ambiente de trabalho.
Portanto, o convívio com os colegas pode se tornar desgastante como qualquer outro tipo de relacionamento, pois o hábito de nos relacionarmos constantemente nos “isenta” às vezes de respeito, consideração e cordialidade. Qualquer sujeito se rende a pessoas que conseguem sorrir e ver a beleza nas coisas mais simples. A mais intolerante das criaturas acaba sendo vencida pelo cansaço por aquela que se mostra determinada, segura e com bastante leveza de espírito. Por isso defendo o conceito de resiliência e almejo que seja trabalhado em todas as empresas que existem.

As pessoas precisam ser capazes de superar os obstáculos e continuar lutando para alcançar seus objetivos.

Assim sendo, nos tornamos vulneráveis e podemos, sem querer, acabar criando um local de trabalho sem harmonia e com uma energia pesada. Por exemplo: quem é que nunca teve vontade de falar mal daquele colega de trabalho que se acha o melhor? Quem é que nunca quis cometer um "crime" dentro da empresa em que trabalha ou simplesmente boicotar os resultados? Não é correto querer crescer e aparecer à custa daqueles que se dedicam de corpo e alma por uma vida profissional decente. A dignidade começa quando somos capazes de agir com retidão e ética. É tão desagradável quando ouvimos alguém dizendo que não gosta de fulano ou beltrano. É tão desconcertante saber que alguém pode ser trapaceado pelo simples prazer de ver a competência da pessoa destruída.
O que se destrói na verdade é a dignidade desses crápulas que agem assim. Esse tipo de sujeito é mais comum do que imaginamos. Pode ser que estejamos cercados por eles e não nos demos conta ainda. A dignidade e a competência do ser humano são natas. Ninguém mata ou rouba! Podem até tentar, mas nunca chegam aos pés desses trabalhadores imbuídos no desejo de crescer e fazer bem o seu serviço.
Por menos que se goste daquela pessoa, ninguém tem o direito de menosprezar a capacidade de qualquer um que seja muito menos maltratar ou se desfazer do seu modo de pensar e agir, a não ser que comprometa a saúde dos projetos e metas propostas. Todos nós somos inteligentes e capazes de desenvolver várias habilidades, principalmente a humildade e gentileza.

O início pode ser complicado, mas vale à pena tentar. É gratificante a sensação de que pode ter feito algo e realizado bem suas atividades, além de colaborar para o crescimento de alguém.

Quero dizer que “gentileza deve gerar gentileza” (já dizia o Profeta)! Basta olhar para o outro como se fosse alguém muito especial e que possui sentimentos (quem não os tem?). Também não precisa ser do tipo piedoso que permite tudo e nunca revida as ofensas. O ideal é não procurar uma posição de defesa ou se fazer de coitado. Todos têm que mostrar a verdade através do trabalho bem feito e do bom relacionamento com os demais. Afinal de contas, ninguém precisa ter sangue de barata o tempo todo.
Vamos pregar a paz dentro das corporações e evitar a raiva. É muito melhor compartilhar de momentos agradáveis do que se estressar e contribuir para péssimas horas de relações interpessoais. O processo de desenvolvimento harmônico deve começar dentro de nós mesmos. Não devemos esperar uma atitude alheia como se os outros que tivessem que tomar a partida sempre. Dê o pontapé inicial e inicie uma campanha de boa educação e afabilidade.
Vamos fazer de tudo para criar amizades e relacionamentos saudáveis no setor em que trabalha, perguntar ao colega como foi o seu dia, se dormiu bem, agradecer, desejar bom trabalho e dar os parabéns por algo realizado com esmero e dedicação! Agradecer e pedir algo com o bondoso "por favor" também enobrece e dignifica pequenos gestos. Entre outras coisas que podem ser ditas, podemos levantar os ânimos das pessoas, descontrair e saber impor limites sem abusar da confiança.

 
LUIZ GABRIEL TIAGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo (a) ao Blog do Sr. Gentileza - 06 anos no ar!

Aqui também é casa de gente gentil. Leia, acompanhe, participe e deixe suas mensagens :-)

Sinta-se à vontade em compartilhar a prática da Gentileza na sua vida, no trabalho e na sociedade.

Abraços,

Sr. Gentileza

Obs: Suas mensagens são muito bem vindas, mas identifique-se. Os comentários anônimos não serão aceitos.