quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O TEMPO - texto de Jöel Thrinidad

Quando está chovendo o que você faz?

Deixa de caminhar pelo parque, deixa de caminhar pelo bairro, deixa de ir ao mercado e resolve fazer outras coisas, inclusive ficar deitado debaixo do cobertor assistindo a um bom filme, enquanto descobre que aquilo era a única coisa da qual você mais precisava no mundo?
Assim mesmo é a idade. Com o tempo a gente deixa de fazer o que é obrigatório, o que é cansativo e o que a gente faz só para provar alguma coisa para alguém e aproveitar mais a vida com consciência e sem tanta pressa.
O tempo e a idade nos favorecem em muitas coisas que nem nos damos conta. Com o tempo descobrimos até aonde podemos ir, quais os nossos limites, no que devemos acreditar e também em quem confiar. A idade trás uma serie de vantagens, que a gente só conhece quando chega lá. É você quem resolver o que fazer dela. Todos os dias caminhamos para o final da vida e não para o começo. Para que essa pressa de todo dia?
Nada é permanente, muito menos o reflexo que você vê no espelho. Isso acontece com todo mundo, não é apenas com você. A única coisa a lamentar é que com o passar dos anos, tudo vai ficando mais caro para a nossa idade, mais alto para a gente alcance e mais apertado para a gente entrar.
Ninguém é Peter Pan, para poder parar no tempo e viver para sempre criança . E na verdade qual é a graça em parecer criança? Alguém venderia uma cerveja para o Peter Pan se ele fosse a uma boate depois do trabalho?
O bom da idade é perceber o que você pode fazer para estar melhor, não importando a idade que for. É ter colhido tantos frutos que irão lhe proporcionar um bom inverno, quando os dias ruins chegarem. É ter conhecido tanta gente e descobrir com o tempo que irá confiar em poucas. É poder olhar para alguém que quis envelhecer com a gente, alguém que sempre esteve ao nosso lado e ter a certeza de que ela nos ama mais agora do que com aquele que fomos no passado.
Acredito que a única coisa ruim de ficar velho é chegar nos altos dos seus cinqüenta anos e relembrar que com 18, seus pais não deixavam você fazer, o que ninguém o impediria que fizesse hoje.
Um dia meu pai me disse para eu crescer e ser um homem de bem, mas ele não me disse se quando eu crescesse e me tornasse um homem de bem, eu poderia voltar a ser aquele menino rosado que ele pegava no colo e fazia dormir dizendo palavras bonitas para tivesse um sonho bonito.
Para que você me fez sonhar com aquilo tudo pai, se mais cedo ou mais tarde, eu iria ficar sem respostas para tantas coisas dessa vida?


Por Jöel Thrinidad
Tributarista, Colunista Executivo e Escritor
Palestrante Sobre Comportamento e Relacionamentos Sócio-Corporativos


Além disso tudo, Joel Thrinidad é um grande ser humano e ótimo amigo.

Obrigado Joel por toda a força que tem me dado na minha trajetória profissional!

Um comentário:

  1. Ola, boa noite.
    Como esta o Sr. Gentileza? Realmente gentileza gera gentileza, a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória, e voce tem um semblante de PAZ, arrebatador, quando eu tiver oportunidade quero te conhecer pessoalmente, na minha vida ha muito espaço para pessoas do bem, da paz, da gentileza, da generosidade, e tenho a impressão que voce é assim.

    Seja muito feliz, sempre.
    Um grande abraço

    Cadu Flores

    ResponderExcluir

Seja bem vindo (a) ao Blog do Sr. Gentileza - 06 anos no ar!

Aqui também é casa de gente gentil. Leia, acompanhe, participe e deixe suas mensagens :-)

Sinta-se à vontade em compartilhar a prática da Gentileza na sua vida, no trabalho e na sociedade.

Abraços,

Sr. Gentileza

Obs: Suas mensagens são muito bem vindas, mas identifique-se. Os comentários anônimos não serão aceitos.