quarta-feira, 26 de agosto de 2009

MEU LIVRO!!!!

Meu livro está pronto!!!!!!! Agora todos podem ler o que escrevi sobre a raiva no ambiente de trabalho e todas as estratégias para vencê-la com ética e bom humor. Basta acessar o site: http://www.ideiaseletras.com.br/ e adquirir seu exemplar. Obrigado a todos que me ajudaram para chegar até lá.


LUIZ GABRIEL TIAGO

O QUE PENSAM SOBRE O ESCRÚPULO?


"Se o partido principal, seja o povo, o exército ou a nobreza, que vos parece mais útil e mais conveniente para a conservação de vossa dignidade está corrompido, deveis seguir o humor e desculpá-lo. Em tal caso, a honradez e a virtude são perniciosas."
Nicolau Maquiavel


Analisem a frase de Maquiavel e me respondam o que acham dos escrúpulos. Em quais situações devemos defendê-los e em quais devemos esquecê-los?


Saudações!!!
Luiz Gabriel Tiago

terça-feira, 25 de agosto de 2009

GENTILEZA COM MARTHA MEDEIROS

Diante de alguns pedidos por textos mais românticos, resolvi postar um fabuloso artigo da Martha Medeiros que fala sobre o amor. Quero que reflitam sobre a inocência desse escrito e transporte-o para a empresa em que trabalha. Vamos e devemos tratar todos com muito amor e gentileza. Afinal, para recebermos carinho, devemos dá-lo sem cobrar nada em troca. O verdadeiro sentimento provoca uma avalanche de satisfação pessoal e alegria.
Um dia de paz e amor para todos vocês que me acompanham.

Texto (Sem título):
“O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença. O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro. Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam.
Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor. Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência.
Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada. Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.”


Artigo de Martha Medeiros.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

RECORD ABSOLUTO

Pois é... Estou chegando lá. Nesse domingo consegui superar todas as expectativas de audiência. E percebam que nem sou da emissora "plim-plim". Sei que a dedicação, empenho e disciplina conseguem juntas alavancar qualquer pessoa a atingir seus objetivos e metas. Há muito tempo não me dedicava ao Blog por motivos particulares, mas hoje diante de tanto entusiasmo resolvi cuidar um pouco do meu "filho" quase perfeito. Quem gosta de escrever o faz por amor e veneração e não basta querer. É necessário evocar as entranhas e entrar em sintonia com o mundo interior para isso. Parabéns para mim, parabéns para você, parabéns para a tecnologia... Estamos sintonizados no mundo moderno, estamos ligados pela internet. Nós lemos!!!! Nós escrevemos!!! Viva esse domingo fantástico!!! Viva a vida!!!




Boa semana a todos!!!

Obs: 670 ACESSOS NESSE 23/08/09. É O RECOMEÇO.




Luiz Gabriel Tiago
Blogger


Well ... I'm getting there. This Sunday could surpass all expectations of the audience. And I'm not even realize that the station "bling-bling". I know the dedication, commitment and discipline can together leverage any person to achieve their goals and objectives. Long time not dedicated myself to the Blog for private reasons, but today the face of such enthusiasm I decided to look a little of my "son" almost perfect. Who likes to write out of love and reverence and not enough to want. It is necessary to evoke the bowels and get in tune with the inner world to it. Congratulations to me, congratulations to you, congratulations for the technology ... We tuned in the modern world, we are linked by the Internet. We read!! We write! Viva this fantastic Sunday! Live life! Good weekend to all!
PS: 670 ACCESS ON THIS SUNDAY! THANKS!
Luiz Gabriel Tiago
Blogger

GENTILMENTE ABORRECIDA

Li nesse domingo um artigo escrito pela Fernanda Young - que por sinal dispensa apresentações. No início pretendi discordar de tudo que tinha escrito até fazer algumas reflexões. Não vou postar aqui o texto na íntegra, pois está bem na minha cabeça tudo o que elucidou.
Seu título é "Hamlet em um domingo até que razoável" produz em nossa consciência o pensamento do que realmente estamos fazendo com nossas vidas.
Não interessa o que os outros queiram que você faça ou simplesmente digam quais serão suas vibes. Ela diz que não gosta dos seus dias e que muitas coisas a irritam. Não é nem um pouco masoquista, não quer sofrer, mas seu domingo é insuportável, principalmente pela "festinha de criança que acontece no prédio da frente". Mais um dia se passa e não quer adotar adjetivos definitivos ou rabugentos.

"Todos com suas devidas razões para estarem levemente aborrecidos com as coisas."

Isso é o que acha da vida. É o que acha das coisas que movimentam o mundo. Pode parecer estranho, mas é bastante coerente e não-hipócrita com suas palavras. Verdadeira e transparente, gostem ou não gostem dela, falem o que quiser, façam o que der na telha - sua vida vai continuar.
Sem possibilidades de filosofar ou poetizar nessa postagem, mas o domingo é uma referência melancólica, pois todo mundo está em casa de folga, sem ter o que fazer e curtir. O que gostamos mesmo é da correria dos dias úteis, dos ônibus lotados, engarrafamentos, e-mails se multiplicando na caixa postal, a empresa cobrando resultados, família em crise... Entre outros milhares de sortilégios da modernidade.

"É muito triste sentir-se um espírito-de-porco, em meio a um exército de contentes."

Cada um busca sua "conteteza" da forma que achar conveniente e prática. Mas será que nunca nos sentimos um pouquinho pessimistas em relação à vida? Será que nunca refletimos que nossos problemas são muitos e parecem não acabar nunca?
Ou será que o domingo é o dia que temos para abstrair e repensar tudo? Cabe aqui uma reflexão, um tempo para energização e recarga das baterias. Afinal de contas, domingo também sempre acaba.

O artigo da Fernanda Young foi publicado na Revista de Domingo do Jornal O Globo de 26/04/09. Vale à pena lê-lo. E para quem não a conhece, é escritora, roteirista e apresentadora de TV.

domingo, 23 de agosto de 2009

A GENTILEZA DO SAMBA

Há muito tempo não tinha a oportunidade de vivenciar a realidade do mundo popular, entranhado num espaço aonde as pessoas queriam somente viver e saborear através da música e se sentir soberanas na sua arte. Uma forma de dizer que são unânimes e poderosas independente de quanto ganham de salário, qual carro têm e onde moram e sem importar a religião e etnia. Todos podem e devem comungar da mesma energia e entusiasmo que se espalha e contagia a quem presencia.
O samba possui uma magia inquestionável e, pra falar a verdade, deveria ser exclusivo daqueles que sabem admirá-lo. Os negros (não vou utilizar nenhum outro termo por não ser o "correto") têm total propriedade sobre esse ritmo e conquistam qualquer espaço que seja cantado. Dançam com maestria e desbancam a pompa de qualquer branco. Não faço conjecturas à etnia, e sim, reforço o talento nato e entranhado nos afro-descendentes.
Todos sabem da minha admiração pela cultura e história dos negros e, mais do que ninguém, defendo a exclusividade de sua arte. Desde a sua história, vindos de um continente escravizado, sua religião, seu desembaraço com a vida e sua habilidade de contornar a crise, até sua postura em relação ao seu sangue. Bravos e louros para eles que podem fazer arrepiar qualquer sujeito quando se depara com suas manifestações.
Voltando ao samba, quero testemunhar a alegria comovente e praticamente sem adjetivos da espontaneidade que vem das entranhas. Não faço menção ao pagode mal feito. Faço jus aquele samba de mesa possuidor de uma arte envolvedora e que comove qualquer turista que vem, principalmente, ao Rio de Janeiro. Não precisa conhecer o idioma e nunca ter escutado um samba do Zeca Pagodinho ou de Beth Carvalho. Basta escutar e ver. E não precisa ver com os olhos (sem redundâncias), tem que enxergar com o coração e alma. Estava lá na hora certa e com as pessoas certas e não poderia deixar de escrever esse artigo descrevendo minha experiência.
Sempre soube que isso existia e já participei de encontros em redutos típicos. Imaginem o samba numa mesa de bar, tocado por negros, dançado por negros, a maioria de negros, negros e sua peculiar forma de demonstrar amizade. Ali ninguém pode ser infeliz! Isso é regra e não se assuste se alguém numa tristeza muito grande começar a chacoalhar os ombros ou os pés.
Esses movimentos são impulsionados pela energia transmitida e induzida pela emoção.
Existem muitos autores e poetas que viveram para isso. Até hoje admiro a capacidade de abdicar do sofrimento em prol da magia do cantar. Não é um cantarolar pretensioso, pelo contrário. Trazem as pessoas (como nós) a reflexão instantânea de como viver. Não querem sofrer e fizeram essa opção. É ótimo. Vale à pena. Logicamente que não vou abrir mão de minha vida profissional e pessoas para viver do samba... A boemia referida é a forma correta de encarar os sofrimentos e obstáculos. Basta viver e simplesmente encontrar nas horas difíceis algo para se apoiar.
Deparamo-nos todos os dias com uma rotina totalmente sugadora de nossas energias através do trabalho, problemas familiares e dificuldades vividas por outras pessoas. Ah! Como nos envolvemos com os trâmites insuportáveis de outras pessoas.
Devemos parar e racionar como os poetas e compositores. Desejemos sua leve forma de encarar os procedimentos e burocracia inerentes a qualquer sujeito moderno ao nosso ambiente. Nossa forma de agir e realizar coisas devem ser pautadas nessa filosofia popular.
A gentileza também está inserida nisso, afinal, não haveria samba sem a amizade, solidariedade e humanismo. Sorte daqueles que têm essa oportunidade. Sorte minha, sua e de quem quiser. Samba (do bom) e gentileza pra você também.


Luiz Gabriel Tiago

Obrigado / Thanks






Estamos nos aproximado dos 400 acessos somente nesse domingo!!!!
Como posso agradecer??? Somente dizendo OBRIGADO...

We´re getting nearby the 400 access only on this Sunday!!!
How can I say thanks?? Only saying THANKS A LOT....


Luiz Gabriel Tiago

BLOGGER

LEVANDO ... COM LEVEZA

Para quem pensou que o domingo estava acabando na mesmice, se enganou. Vosso autor resolveu escrever e buscar inspiração na melodia incansável dos poetas. Uma das formas que busco para entronizar e me sintonizar com o Super ID ou ID é através da música. Mas não a encontro em qualquer cantiga, muito menos nas que não transmitem nenhum tipo de sentimento. Os poetas e compositores são amantes natos da vida e muitas vezes não somos capazes de perceber isso.
Achei a leveza necessária então para registrar minhas intenções nesse dia. Encontrei nesse domingo ("de nada") uma relíquia que me fez refletir sobre nosso cotidiano. Pessoal, depois do domingo sempre vem a ingrata segunda-feira. Aliás, ingrata coisa nenhuma. É normal nos sentirmos deprimidos porque sempre temos que trabalhar no dia seguinte e a folga está terminando. Na verdade, devíamos comemorar porque temos trabalho e ocupação para nossas vidas. Temos um emprego e nos dedicamos a alguma atividade, seja formal ou não. Coisa bacana isso e tão bom saber que colaboramos para o desenvolvimento dos negócios, que elaboramos e executamos projetos, que proporcionamos a nossas empresas e equipes a solidariedade humana e fazemos parte de um todo.
A gente vai levando assim a vida. Levando bem como compôs Chico e Caetano na letra abaixo. Façamos de nossa semana uma bela oportunidade de criar e inovar. Nos orgulhemos de fazermos parte desse meio tão mágico que são as corporações, apesar de algumas vezes ser muito chato e entediante o que fazemos. Nem sempre estamos plenamente motivados e isso não nenhum absurdo. Temos que buscar a realização e satisfação constantemente para não deixarmos de lado nossos deveres.
Os altos executivos acabam fazendo opções importantes na vida em prol do profissional e vivem abdicando do lazer e ócio a favor das tantas reuniões e importantes negociações. Sua vida particular acaba se dissolvendo e não percebemos que muitas coisas acabam escorrendo pelas mãos, inclusive a beleza do domingo.


Vai Levando
Chico Buarque / Caetano Veloso

Mesmo com toda a fama,
Com toda a Brahma
Com toda a cama,
Com toda a lama,
Com toda gama
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa chama
Mesmo com todo o emblema,
Todo o problema
Todo o sistema,
Todo Ipanema
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa gema
Mesmo com o nada feito,
Com a sala escura
Com um nó no peito,
Com a cara dura
Não tem mais jeito,
A gente não tem cura
Mesmo com o todavia,
Com todo dia
Com todo ia,
Todo não ia
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa guia
Mesmo com todo rock,
Com todo pop
Com todo estoque,
Com todo Ibope
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando esse toque
Mesmo com toda sanha,
Toda façanha
Toda picanha,
Toda campanha
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa manha
Mesmo com toda estima,
Com toda esgrima
Com todo clima,
Com tudo em cima
A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando
A gente vai levando essa rima
Mesmo com toda cédula,
Com toda célula
Com toda súmula,
Com toda sílaba
A gente vai levando, a gente vai tocando, a gente vai tomando,
A gente vai dourando essa pílula!

LUIZ GABRIEL TIAGO

OBRIGADO PELOS ACESSOS


Mais de 240 acessos ao Blog no dia de hoje!!! Domingo, 23 de Agosto de 2009.
Obrigado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Luiz Gabriel Tiago

sábado, 22 de agosto de 2009

GENTILEZA DO EU COLETIVO

Anos e anos se passam e nada muda, a não ser a sua vida que está cada vez mais sobrecarregada com o trabalho, os problemas familiares que não param de te atormentar e as dívidas que sempre aumentam. Além disso, não agüenta mais ser classificado como algoz das desgraças do mundo e ser pisoteado como um capacho doméstico. Sempre foi passivo diante das pessoas e aceitou o que ditavam, tudo o que planejavam para sua vida e as conclusões que tiravam para seu comportamento e suas decisões. Ser complacente diante dessa situação incomoda muito, mas o único a determinar o curso de sua história é você mesmo. Ser o autor de seu próprio livro e ditar um manual próprio não é fácil, mas é uma forma humana de conquistar o domínio e expurgar o veneno aplicado por muitos em nossas entranhas.
É hora de mudar e tem que ser um movimento constante, sem vai-e-vem, um curso retilíneo que não te envolva a voltar atrás. Voila! “Nem pensar em deixar a vida te levar”, como diz o compositor. Se não existissem as trevas, que seria da luz? Se o futuro bate à sua porta, que dirá do presente? Assim sendo e antes do amém, eis que surge alguém entorpecido dentro de você. E as promessas de uma nova era te consentem sonhar com a tranquilidade financeira e a sanidade de todos os problemas reservados. Você anuncia a si mesmo que tudo será diferente daqui para frente e que sua vida será transformada. Sua vida será alegre e leve, seus problemas serão resolvidos e todos te amarão – afinal, ninguém sobrevive sem o afeto. E você mais uma vez tem a certeza de que sua diligência para fazer as coisas mudarem não será em vão e que, de uma vez por todas, seu futuro será atopetado de dinheiro, serenidade e saúde. Busque a concordância interna e decida quem a sua volta fará parte desse círculo de bem estar. Selecione bem as pessoas fundamentais para essa transformação e legitime a sua vida de que é capaz de sair do casulo e desbravar a realidade.
Os filhos estão crescendo e sua conta bancária deve acompanhar essa cadência. O dinheiro é muito importante para a concretização dos sonhos e pode ajudar bastante para a felicidade. Não pense nele como algo aziago. Determine que seja um elemento necessário para essa mutação e sem ele (o dinheiro) não é possível chegar muito longe. Fomos educados a temê-lo e a não adorá-lo. Esse tipo de idolatria não é a mesma coisa que fazemos a Deus e sim cultuá-lo com importância para sabermos administrar os momentos de crise e investir na cultura da solução e cura dos males. Nesse instante mágico, se lembra daquelas viagens que sempre quis fazer, dos livros caros que deseja comprar, do carro novo que precisa, dos móveis que serão trocados e todas as contas em dia. Também brande com a família em harmonia longe de intrigas e influências maléficas; sempre rodeado de amigos verdadeiros e pessoas sem interesse algum em te turbar ou querer desestruturar sua vida. Ah... Como é bom andar de cabeça erguida sem se preocupar com que os outros pensam a seu respeito. Como é bom ser você mesmo! Finalmente poderá se preocupar com os seus sentimentos e cobiças, sem ser movido pelo que todos podem achar de suas decisões ou atitudes.
A liberdade enfim! Você abre os braços para o mundo e dá um grande abraço ao universo, à sua nova forma de encarar tudo e todos e à sua inteligência. Para um pouco para refletir e reafirma que você é uma pessoa sábia e como pode ter sido tão diferente do que é por tanto tempo. Como pode ter se agredido, violentado e violado seus conceitos, personalidade e caráter? Como pode ter sido tão covarde com a vida e se permitido sofrer e ser levado pelas pessoas? Não. Definitivamente você não é mais essa pessoa. Acabou. Aliás, começou. Pensa que se o fim fosse tão ruim assim, não existiria o começo, ou o recomeço. A auto-chance de se permitir tentar novamente e errar, dane-se. Pode até sentir raiva de si próprio, não faz mal algum. Converta esse sentimento em gana de vitória, ambição de uma vida melhor, sucesso e grandes realizações. Enumere suas estratégias e esmiúce as diretrizes para esses propósitos. Sinta a raiva por um tempo, mas não deixe que se apodere de você. Antes ela do que a apatia, depressão ou inércia. Aliás, como existe gente inerte na vida; pessoas que esperam sentadas as coisas acontecerem e só se erguem para assistir a derrota dos outros, criticar e falar mal do que não lhe dizem respeito.
Está claro como água que se tropeçar, o problema será seu e de mais ninguém. Não interessa ao mundo o que acontece com você, pois você é único em sua existência e está disposto a acertar. O acerto está escrito e já decretou isso, pois suas determinações são soberanas. Nem pensar em errar, já não se acha tão novo para delatar a sua vida assim. Não se exponha mais. Essa história de aprender com os erros já era para você. Agora só vai atingir o alvo de forma certeira, pois sua mira está aguçada e a gana pela harmonia pessoal é muito forte. Inclusive, resolve se dedicar a alguma filosofia de vida ou religião para se reencontrar com Deus. Não que tenha perdido a fé. Mas acha na verdade que ela foi dar um passeio logo ali e acabou de voltar. A sua esperança também se afastou por uma temporada, mas segurem-se quem puder, pois você deu um tropeção nela no meio da confusão e fizeram as pazes e juras de amor eterno. Assim sempre terá motivação para viver e não renunciar. Deixe que os outros desistam e sejam vencidos pela lassidão.
Que falem o que quiser, mas já é uma nova pessoa e tem pena de quem não é igual a você. Promete mentalmente que ajudará a todos que precisarem, afinal a solidariedade é nata e como não é egoísta, pretende dividir seu sucesso com todos. E sabe que vai ter muitas vitórias e colherá frutos recheados de um delicioso sabor de riqueza. Planeja preparar uma grande festa para ser coroado diante de todos. A sua coroa não é a soberba ou vontade de humilhar ninguém. Quer que todos admirem sua determinação e garra e mostrar que a sua vida mudou. É rei enfim e pretende assumir sua posição permanentemente. Seu trono é o triunfo de muitas conquistas baseadas no trabalho, garra e determinação. Sua majestade possui o comando e as rédeas da situação. A condução de sua vida é somente sua.
Você foi capaz de decifrar as esfinges, vencer as dificuldades e dar a volta por cima. E quanta poeira se fez durante esse período. E quem se levantou foi você e se ergueu em riste. Agora só existem neblina e obscuridade diante das coisas ruins. Não enxerga mais o mal e não deseja a mesquinharia. Só consegue avistar aqui, milhas adiante e à velocidade da luz. Avante forte desbravador! Esse é o seu lema e a sua bandeira é o amor e não se canse de defendê-los e tomá-los como lei para sua casa, família e trabalho. Sua forma de pensar faz parte da realização pessoal e concretize seu raciocínio e sapiência.
Ops! Sente um vazio dentro do peito e quer preenchê-lo imediatamente. Segue sua intuição e descobre o que incomoda: ainda não recuperou a pessoa amada que também foi embora naquele tempo que fazia o que os outros queriam. Não espere até amanhã para recuperá-la. Faça-o agora mesmo e devolva ao seu coração a energia primordial da humanidade. Delibere-se resgatar sua vaidade e deixe o orgulho banal de lado. Ninguém vive sozinho, muito menos você. Você será mais forte na companhia daquela pessoa e sabe que dividir a alegria é muito bom. Vale à pena rever as imaturidades do relacionamento e dar valor aos momentos de alegria que foram muito maiores e valorosos. Só os imbecis valorizam os erros e defeitos. Seja superior e não vandalize o querer. Não marginalize o companheirismo e a espiritualidade. Nem pensar em envelhecer solitário, muito menos em destruir seu pedacinho de afeto e ternura. A reconstrução da sua família será fundamental nessa nova fase que será eterna. Seu coração tem vontade própria e quer ser feliz.
Você é uma grande rocha vitalícia que se transformou com o tempo e nunca se acaba. A pedra é perpétua e não possui face, a não ser que você a esculpa com suas mãos e a desenhe da forma que quiser. Dê vida a ela e veja como tudo é tão bom. Você é assim agora e conseguiu se transformar no que é mais belo. Um ser forte e capaz de enfrentar os obstáculos, admirar o sol e sorrir para o mundo. Não é qualquer um que pode sentir a alegria nas crianças, o perfume das flores e a importância da amizade. Sede gentil contigo. Sede gentil com a vida.
Esse texto foi escrito para você. Você sabe quem. Se não sabe, só posso dar três pistas: uma borboleta violeta, uma coruja e um bichinho que não dorme sozinho.


LUIZ GABRIEL TIAGO