terça-feira, 16 de junho de 2009

(RE)COMEÇO COM PULSO FIRME - SEJA GENTIL COM SUA VIDA


Sempre há tempo para repensarmos nossos feitos, principalmente quando não nos sentimos realizados profissionalmente ou nos sentimos incapazes e desabilitados para a vida. É praticamente impossível disassociar a satisfação pessoal da profisisonal e vice versa (não é tão simples assim deixar os problemas do lado de fora da empresa). Mas esse sentimento é natural. Porém deve ser convertido e servir de estímulo para uma mudança rápida, pois as revoluções pro bem são sempre bem vindas e devemos estimular essa alteração de vez em quando.
Conhecemos pessoas que gostariam de estar em nossos lugares e nos invejam por termos um emprego simplesmente e vivemos reclamando de tudo. Nunca estamos satisfeitos com nossas condições, mas o correto é lutar para revitalizá-las e aparar o que for necessário. Nada é alcançado sem esforço ou sacrifício e somente temos aquilo que merecemos e buscamos. Uma busca, digo particularmente, cansativa e que exige muita dedicação e empenho. Em outro artigo escrevi sobre a disciplina e ela se aplica nisso também. Somos obrigados a nos exigir impulso e energia para sobervivermos e transformarmos nossos sonhos em realidade. Nesse caso, devem gerar objetivos e metas e temos que traçar planos para chegarmos até eles. No início tudo parece muito difícil e pensamos em desistir. Mas, porque desanimarmos se esperamos uma recompensa? O troféu de todo esse esforço são a nossa vitória e os frutos maduros que colhemos com o passar do tempo. Esse tempo não deve ser mensurado em dias, meses ou anos. Ele pode ser calculado instantâneamente e podemos nos compensar com cada segundo respirado com dedicação e trabalho. Todos os segundos são levados em consideração quando pensamos na vida como um todo e a vida passa como um piscar de olhos.
Então vamos analisar a vivência dentro de uma empresa. As corporações exigem resultados em todos os momentos e as etapas devem ser cumpridas diariamente. Por isso digo que não podemos trabalhar hoje para conquistarmos algo depois de alguns anos. Vide que não faço conjecturas sobre o futuro. Ressalto os resultados imediatos, pois é isso que o mercado de trabalho ambiciona e espera de nós. Desempenhamos tarefas exaustivamente e cansamos nossas mentes e corpos. Portanto, devemos aproveitar todas as oportunidades que surgirem para relaxarmos e direcionarmos o consciente numa corrente positiva e otimista.
Se chegamos a essa altura do campeonato e nos sentimos cansados - mas nunca desistimos - devemos raciocinar e refletir sobre o que queremos. Sei que sabemos os nossos anseios e disputamos boas colocações todos os dias nesse meio desenfreado. Já alcançamos algo por isso. Conquistamos espaço e temos peso no mercado. Se o desânimo nos abater, devemos recomeçar, pois nunca é tarde para isso. Aliás, nunca é tarde para nada. A desistência é que não pode dominar nossas cabeças e talento adquirido com a experiência. Ninguém é capaz de subtrair aquilo que aprendemos, pois somos indivíduos com sensações e vivências únicas. Digo que tudo o que vivemos é pessoal e intransferível.
Todos nascem com inteligência e potencial para alguma coisa. Conhecemos pessoas que mal sabem ler e escrever e, mesmo assim, desenvolvem habilidades que, mesmo que tentemos, não conseguiríamos obter com o mesmo êxito.
Já se imaginou cuidando muito bem de crianças como as babás e criando um vínculo extremamente forte com suas famílias? Já se imaginou trabalhando em cemitérios enterrando pessoas e conseguir dormir normalmente todas as noites? Pense agora naqueles profissionais que arriscam suas vidas como os bombeiros e policiais. São pessoas que detêm competências natas e que desenvolvem suas atividades com toda a dedicação e esmero como você que está lendo esse texto, independente de sua vocação ou habilidade.
Pois bem, existem pessoas que fazem isso e gostam muito. Pena que muitos se depreciam por se acharem velhos demais ou sem dom para nada.
O começo (ou recomeço) para muitos pode ser complicado principalmente quando elencam muitos obstáculos e dificuldades para tentarem dar uma guinada em suas vidas, principalmente quando reclamam que ou nunca têm tempo ou que não vão ter o apoio da família. Dizem que existem pessoas que dependem de sua dedicação como os filhos ou os pais por serem muito velhos. Não encontram solução ou saída para voltar a estudar e, muitas vezes, ainda precisam ser alfabetizadas. As possibilidades desse projeto dar certo são muito maiores do que os empecilhos que promovem, pois parece que seus problemas são maiores que os de outras pessoas.
Conheço mulheres e homens que recomeçam suas vidas depois dos quarenta anos e se sentem revigoradas como um jovem adolescente. A idade mental é que determina o que cada um pode fazer e ser. A vontade de dar a volta por cima é soberana e vital para quem realmente quer alcançar alguma coisa.
As empresas hoje procuram pessoas dispostas a investir em suas carreiras independentemente da idade ou sexo. A vontade de seguir em frente e se dedicar são preponderantes num processo de seleção. Não existe distinção desses itens mais. O que vale mesmo é a coragem e traços de talento que são natos de todos os sujeitos.
Não crie dificuldades que não existem. Não se ache a pessoa mais incapaz do mundo. Não culpe os outros pelos seus problemas. Somos aquilo que queremos e podemos alcançar nossos objetivos - basta traçá-los e se esforçar bastante. Não se preocupe com poucas horas de sono ou se tem que se deslocar muito até o trabalho ou escola. Nunca ouvi dizer que alguém morreu porque trabalhava muito longe de sua moradia. Realmente, sei que é desgastante e cansativo, mas não dá pra desistir por esse motivo. Conheço pessoas que se desligam do trabalho e culpam isso e é inaceitável e características da covardia. Na verdade, querem mesmo é não fazer nada e viver do favor dos amigos e parentes. Gostam do ócio e de ficar em casa descansando pois acham que a vida é feita de sombra e água fresca.
Não deixe esse mundo te levar para o abismo e não se acostume com a indisciplina. Seja gentil com sua consciência e se orgulhe de si próprio. Abrace essa causa para se lembrar do passado com alegria e satisfação.
Peço desculpas se estou sendo bastante franco em relação a isso pois, na verdade, quero chamar a atenção de pessoas que se aproveitam do esforço de outros para viver. Para esses digo que devem buscar o estudo e o trabalho, pois se esperarem sentados algo de bom acontecer, podem cansar. Aliás, perdão mais uma vez. Pessoas assim nunca cansam de fazer nada! São "nada".
Não se permita ser incluído nesse time de derrotados. Procure a coragem dentro de si e lute bastante para ser feliz. Procure um emprego, se dedique e cuide de sua vida. Não se abata diante das dificuldades e não desvie sua atenção para o que os outros fazem ou pensam. Aja com personalidade e com vontade de chegar lá. A linha de chegada está pronta para pessoas empreendedoras e que não têm medo de viver. Levante sua auto-estima, não espere milagres acontecerem e não acredite em ilusões, pois o mundo não é nenhum conto de fadas. Temos que nos espelhar naqueles que deram certo e saber como fizeram para alcançar a realização. É muito bom atingir o ponto máximo, pois os limites somos nós que determinamos. Depois que se sentir preparado, elabore um bom curriculum e busque sua vaga ou promoção. Tem sempre alguma empresa esperando por alguém como você. Insista e acredite na vida.

Vai até lá!

LUIZ GABRIEL TIAGO

segunda-feira, 1 de junho de 2009

SUBSISTEMAS COMERCIAIS DA HOTELARIA

A hotelaria é movida pela emoção e prazer no atendimento. Lidar com pessoas é uma arte cada vez mais difícil e demanda muito esforço e empenho para cativar aqueles que procuram uma hospedagem com harmonia e tranquilidade.
Os gestores se esforçam cada vez mais para qualificar e preparar suas equipes para cativarem os clientes e fidelizá-los, pois a concorrência é cada vez mais acirrada e novos leitos surgem para disputar com antigos meios de hospedagem. Cada um com sua própria inovação e redes internacionais em busca de novos conceitos de prestação de serviços. As ideias surgem através de novos estudos de mercado e, sem dúvida alguma, os mais fortes sempre estarão à frente na disputa por um lugar em destaque.
O bom acolhimento é indispensável para aqueles que estão em trânsito e deixaram suas famílias em sua cidade de origem. Os fatores psicossociais devem ser considerados, principalmente por lidarmos com seres humanos que têm aspirações, vontades e carências. Esse deslocamento exige uma logística complicada e tramada através de sistemas e subsistemas interligados. Qualquer falha se torna fatal para o comprometimento das equipes embuídas em acolher bem. Nenhum detalhe pode passar despercebido, muito menos omitido diante de tanta disputa. Devemos lembrar de que sempre teremos alguém na concorrência mais capacitado e mais criativo. Sem pessimismo ou subtração do positivismo, mas a criatividade deve ser nata e (re)trabalhada incessantemente. Vários treinamentos e programas de capacitação são aplicados nas empresas e devem ser levados a sério para que possam manter a qualidade exigida por aqueles (clientes externos) que as mantêm através de indicações principalmente. A divulgação oral é muito importante, pois nossos hóspedes são formadores de opinião e costumam ser fiéis ao bom acolhimento.
Toda essa estrutura operacional deve ser mantida com muito esmero e exige competência na sua gerência. Porém, não podemos esquecer de equipes indispensáveis para um equipamento hoteleiro que, na verdade, são canais de distribuição do produto e certificação de tudo o que é oferecido. Sem esquecer do Front (Recepção) - este que atua como cartão de visitas de qualquer empreendimento - temos que enfatizar o trabalho exaustivo desenvolvido pela área Comercial (incluo o departamento de Reservas - mesmo vinculado, em alguns hotéis ao setor de Serviços) e Financeiro; estes que mantêm ativos as vendas e controle de todo o fluxo de receitas e despesas da empresa. Não é nada fácil controlar o faturamento, mesmo que em fase de extinção, e todas as pendências contábeis.
Não basta que o hotel seja de uma aparência impecável se, no seu âmago, ofereça serviços precários e pessoal despreparado. A equipe que divulga e negocia com os principais clientes, como as empresas, precisa ter a certeza absoluta de que o produto está adequado ao mercado procurado. Os Executivos Comerciais ou Gerente de Vendas têm um faro aguçado em relação a esse item, pois não podem distribuir informações valiosas aos potencias fornecedores de hóspedes. São eles que buscam nas praças (cidades ou regiões potenciais) as "contas" cativas da hotelaria e fazem de tudo para mantê-las. Essa estrutura demanda muito estudo e pesquisa, além de um esforço físico e mental para todas as visitas que são agendadas. Atender as necessidades dessas empresas e captá-las é uma habilidade nata desse time, que não mede esforços para alcançar suas metas. O trabalho é incessante e as vezes exaustivo. Portanto, o comprometimento dos gestores operacionais do hotel deve ser indispensável para que as vendas externas sejam compensadoras.
Essa relação externa-interna deve ser acompanhada por todos os executivos operacionais para que possam medir a possível demanda e poderem preparar suas equipes para o aumento da taxa de ocupação. Consequentemente, com o incremento desse número, percebe-se a dedicação no aumento da diária média com impactos naquilo que todos almejam: o REVPAR (Revenue per Room Available). Esse último costuma ser acompanhado diariamente pelo Gerente Geral e por seus Assistentes.
Com toda essa dedicação e pró-atividade da equipe de Vendas, é necessário que os grupos internos (incluindo de Reservas à Governança) se prepare para alcançar as expectativas do promissores hospedados. O atendimento telefônico - através do atendente de Reservas - será primordial para o primeiro enlace com o hospedeiro. Atento a todos os detalhes e negociações já feitas, esse atendimento deve ser impecável e logo repassado ao operacional para que possa acompanhar a evolução externa. Com o fechamento de um novo contrato de reservas, o operacional se posiciona de forma otimista e contagiante para o acolhimento. Além disso, ventila os dados para análise e perspectiva de como serão os futuros rendimentos.
Toda essa movimentação não se encerra por aí. Com o fechamento da conta do hóspede, o setor Financeiro (ou Controladoria) inicia suas atividades com o fechamento do caixa e prospecções de rendimentos. Imagine essa rotação sem um departamento exclusivo e que se dedique a esse estudo. Seria impossível a manutenção de todo os investimentos e distribuição do fluxo sem esses profissionais. Os Controladores exercem uma atividade mantenedora de todo os pagamentos (inclusive de Folha), entrada e saída. O fluxo de caixa permite uma visualização pontual sobre a situação real do hotel e sobre o que deve ser movido para melhores resultados.
Percebam que toda essa engrenagem funciona de forma ímpar e, se alguma peça falhar, pode comprometer todo um processo indescritível na reputação, formação e manutenção de um meio de hospedagem. Todos devem estar unidos somente em um elo e cabe ao principal gestor, monitorar as atividades relacionadas e acompanhar de perto os resultados. O trabalho não é somente de um profissional, e sim, de um todo chamado Hotelaria - que pode ser resumido em arte no bem atender.

Luiz Gabriel Tiago